O que Estão Fazendo Com Nossos Jovens?

Hoje foi o segundo, e último, dia da primeira edição do Novo ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio, que tem o caráter de avaliar os alunos de ensino médio junto com as instituições de ensino pelo país. O ENEM é uma avaliação conjunta, para ser possível avaliar o que escolas estão ensinando para os alunos e como pessoas diferentes reagem a uma mesma forma de ensino.

A primeira prova do ENEM, como todos sabem, vazou há meses atrás. Na semana passada às vésperas do ENEM, o Ministro da Educação, Fernando Haddad avisou que a prova ainda não está totalmente livre de vazamento.

Para ele, o vazamento e adiamento da prova, no mês de outubro, não mancharam a imagem do Enem. No entanto, nos próximos anos, haverá mudanças no exame no que diz respeito, principalmente, à contratação da empresa responsável pela impressão e aplicação do teste. A realização de um concurso das proporções do Enem não pode ser objeto de um processo de licitação por menor preço, completou.

Haddad disse que o MEC ainda aguarda o fim do inquérito da Polícia Federal para entrar na justiça contra o consórcio e conseguir de volta os R$ 38 milhões pagos para as empresas responsáveis pelo exame em outubro e que foram responsáveis por permitir o vazamento, na opinião do ministro.

O ministro disse também que o MEC mantém a intenção de acabar com o vestibular nos próximos três anos. Queremos acabar com as decorebas, as fórmulas, o adestramento, e, para isso, é preciso acabar com o vestibular do jeito que é feito hoje.

O inferno está cheio de boas intenções. Se por um lado, temos o senhor Ministro cheio de vontade de mudar a história das seleções para as Universidades, temos crianças achando que vivem em um lindo mundo cor de rosa, e reclamam, que fazer noventa questões em um dia é muito puxado.

É isso que estão fazendo com as nossas crianças, futuros profissionais que podem fazer a diferença? Professores, pais, mães e família estão estampando de idiotas meninos e meninas que estão crescendo sem uma ideia real do que está os esperando na esquina.

O mundo é um bicho-papão. Não criamos crianças para nós mesmos. Até porque, com ou sem educação, uma hora eles vão embora, o mundo vai retirá-las de você. Se é assim, precisamos ser sinceros e realistas para mostrar a elas o que as está esperando, para que elas não nos culpem depois.

1. A nota não é importante. Eu estudei sempre em escolas onde a média era maior do que na maioria dos lugares. Ainda no ensino fundamental tinha média seis e, já no ensino médio, média sete. Na faculdade, como na grande maioria, a média também era sete. Ou seja, ou você tira sete, ou não vai passar de ano. Eu sempre fui cobrado pra tirar as notas e passar de ano. Mas, o importante mesmo, que é fazer amigos, ser respeitado, ser provocado a pensar em novas formas de usar o cérebro e INOVAR, nunca ninguém cobrou de mim. A professora de literatura sempre mandou lermos os mesmos livros ridículos, o que, tenho certeza, assustou mais de metade de minha turma que, hoje não deve nem chegar perto deles.

Não interessa a nota que você tira. Eu nunca fui o exemplo de aluno.A minha família é uma família de CDF’s (por parte de mãe), e eu fui a ovelha negra. Nunca estudei pra tirar nota. E se a aula estava ruim, EU NÃO ASSISTIA. Já quase fiquei reprovado por falta, mas nunca por nota. Quando chegava o final do ano, eu tirava a nota que precisava e c’est fine, próximo ano.

As notas não importam. O que importa mesmo é o que você consegue aprender, e o que faz com aquilo que aprende. Já que as escolas e faculdades continuam sendo a mesma droga de sempre, temos que aproveitar a escola do nosso jeito e, criar uma nova forma de aprender.

2. A escola é chata. A escola é realmente chata. Como eu disse lá em cima, VÁRIAS foram as vezes em que eu sai da sala com ânsia de vômito. Os professores têm o mesmo padrão de dar aula, as mesmas apostilas, e assim, os alunos cada dia que passa, saem em debandada fugindo de seus professores. A culpa dos alunos faltarem aula, de ficarem em casa, ou de dormir enquanto o professor se vangloria de quanto é excelente é deles mesmo.

Se eles não fizessem tudo igual sempre, sempre com o mesmo padrão, com a mesma maneira enjoativa de ensinar, as coisas não seriam tão monótonas e repetitiva. A aula de portugês não se conecta com a de biologia, que não se relaciona com geografia, que não tem nada a ver com história, que não se comunica com a matemática, que nem brinca com física e química, que cagam e andam pra filosofia.

Quando o professor entra em uma sala, ele simplesmente APAGA o quadro que o outro professor deixou, sem ao menos pensar COMO pode estabelecer alguma conexão entre uma coisa e outra. Cada um fica no seu quadrado e, assim, o aluno que poderia se desenvolver multidisciplinarmente fica também quadrado e acaba aprendendo apenas um terço das matérias.

O dia em que PROFESSORES tiverem a capacidade de INOVAR, serão adorados por seus alunos, que terão muito TESÃO em suas matérias.

3. Na vida real não existe recuperação. Alunos estão acostumados a uma segunda chance. São educados desta maneira. Primeiro, escreve a lápis para depois passar a limpo de caneta. Assim, caso exista algum erro, é possível ainda consertar. Da mesma maneira, no final do ano, caso você não consiga passar de ano, seja porque não conseguiu aprender nada, seja porque não conseguiu colocar em prática o que aprendeu durante todo o ano, terá uma segunda chance, a RECUPERAÇÃO. Na recuperação, você tem que, em uma ou duas semanas, aprender tudo aquilo que não conseguiu aprender, para depois fazer uma prova. Ou seja, uma segunda opção de fazer uma coisa que não conseguiu durante TODO O ANO.

Porém, pessoas diferentes têm problemas diferentes e, da mesma maneira, aprendem de formas diferentes. Não adianta dar segundas ou terceiras chances para resolver o problema de um ano inteiro, se não conseguirmos uma nova maneira de ensinar.

Só, que quando as crianças crescem e viram adultas, são jogadas na fria realidade do mundo.

Em uma entrevista de emprego não há segundas chances. Se você não passou, nada de emprego. Ou então, se você não soube planejar a sua empresa e o dinheiro acabou, ou se você faliu, ACABOU. Nada de segundas chances. Na vida real, as pessoas precisam escrever logo de caneta sem muitas chances de erro.

Se a sua empresa falir, não existe recuperação. Do mesmo modo, não existe recuperação para a maioria das coisas que fazemos.

Nossas crianças são educadas para aprender em série. Os alunos estão na linha de montagem educacional. São educados em série, através de um processo único e ultrapassado. Estamos em pleno século XXI utilizando a mesma forma de aprendizado de dois mil anos atrás.

Sendo assim, as crianças crescem achando que a vida é feita de malhação, baladas e dez na faculdade. No final do curso das coisas, o pessoal que senta na frente da sala, acaba trabalhando pra quem senta atrás. Os melhores alunos, muitas vezes quando jogados na prática, nunca mais voltam…

Os alunos sabem tudo de reality shows, de novelas, de fofocas. Acham que da pra se ganhar a vida em qualquer concurso público e, que só é preciso trabalhar depois da faculdade. Não sabem a importância de aprender a teoria na prática, seja lá qual a teoria que escolhemos.

Os jovens de hoje não querem trabalhar. E quando eu digo trabalhar, não estou dizendo EMPREGO. Estou dizendo trabalho. Aprender, criar, ter um ideal.

E por outro lado, os pais passam a mão na cabeça de seus filhos. Não precisam trabalhar, não precisam colocar a mão na massa, não precisam fazer nada. Apenas ir à escola, passar de ano, e serem felizes em frente da televisão. Nada de esportes, cursos extracurriculares, para desenvolver a inteligência dos filhos. Apenas passar de ano, e ir empurrando com a barriga.

Por esse motivo, hoje os jovens acharam o ENEM difícil. Acharam noventa questões muita coisa. Isso porque nunca fizeram uma entrevista de emprego, nunca elaboraram um plano de negócios, nunca ficaram até mais tarde trabalhando por uma causa. Assim, noventa questões serão realmente difíceis.

Os alunos, são educados pelos pais e pelos professores para acreditarem que a escola é o maior desafio que eles têm. LEDO ENGANO.

Estão criando jovens covardes e preguiçosos. É uma pena, mas é isso que estão fazendo com nossos jovens.

Anúncios

Um pensamento sobre “O que Estão Fazendo Com Nossos Jovens?

  1. Pingback: A Escola do Futuro. « ::: thinK)Outside ::: Boas Ideias não Sobrevivem no Tempo sem AÇÃO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s