O futuro da educação elimina a sala de aula porque o mundo é a sala de aula

A grande demanda de EAD pode até parecer a melhor maneira de usar a internet para transformar a educação, mas isso é pensar muito pequeno.

Isso pode ser muito familiar para muitos de nós: nós estamos em um grupo de amigos discutindo sobre algum fato histórico, ou alguma divergência de opinião.

No meio disso, alguém sugere verificar a Wikipedia lendo os argumentos para todos e resolvendo assim qualquer impasse.

Não julgue isso como uma ocasião trivial. Ela representa um momento de aprendizagem, ou mais precisamente, um momento de microaprendizagem e é a evidência de uma transformação muito maior da aprendizagem.

É o que podemos chamar de aprendizagem socialmente estruturada que é uma agregação de experiências de microaprendizado retiradas de um ecossistema rico em conteúdo e conduzido não por notas, mas por recompensas sociais intrínsecas.

O momento da microaprendizagem pode durar alguns minutos, horas ou dias (se estivermos envolvidos lendo ou mexendo especificamente que não podemos nos desligar).

Futuro da educação: será que estamos limitando as as possibilidades?

Futuro da educação: será que estamos limitando as as possibilidades?

A aprendizagem socialmente estruturada pode ser o futuro, mas as bases desse tipo de educação se encontram bem longe, no passado.

Os principais filósofos da educação – de Sócrates a Plutarco, passando de Rousseau a Dewey – falaram sobre esses ideais há alguns séculos atrás. E hoje, temos uma série de ferramentas para transportar essa visão para a realidade.

Pense em um aplicativo de realidade aumentada, como o Yelp. Ao apontar a câmera do telefone para um local, que ele exibe pontos de interesse locais, como restaurantes, lojas e museus.

Mas este é apenas o começo. Imagine se, em vez de armazenar informações, pudermos acessar o histórico artístico, demográfico, ambientais, tipos de arquitetura e outras informações embutidas no mundo real?

É exatamente isso que um projeto da universidade da Califórnia chamado HyperCities está produzindo: informações de camadas históricas sobre o terreno das cidades.

Como você anda por aí com o seu telefone celular, você pode apontar para um site e ver o que tinha por lá há séculos atrás, quem morava por lá e qual era o ambiente.

Ah! Você não está interessado em arquitetura, mas é apaixonado por botânica ou paisagismo? O Aplicativo para iPhone do Smithsonian e o Lifesnap para iPad respondem quando você tira uma foto de uma folha de uma árvore, que tipo de planta é aquela.

O futuro da educação é muito mais do que tecnologias ou livros: é social.

O futuro da educação é muito mais do que tecnologias ou livros: é social.

Assim é possível transformar cada pixel da nossa geografia em um livro vivo e uma enciclopédia real.

Então, é preciso olhar além da extensiva ofertas de cursos EAD para pensar no futuro da educação. No EAD precisamos nos perguntar como essa modalidade pode perturbar salas de aula existentes e instituições de ensino, particularmente em faculdades.

A nossa obsessão com o EAD é apenas um paradigma sobre novas tecnologias e ferramentas que podem impactar o ensino de maneira geral.

Nós estamos nos movendo para longe do modelo em que a aprendizagem é organizada em torno de instituições estáveis e hierárquicas (escolas, faculdades e universidades), que tem servido como entrada principal para a educação e mobilidade social.

Ao substituirmos esse modelo, temos um novo sistema em que a aprendizagem é concebida como um fluxo em que os recursos são escassos, mas amplamente disponíveis, as oportunidades de aprendizado são abundantes e os alunos têm cada vez mais capacidade autônoma para mergulhar de dentro pra fora nos fluxos de aprendizagem.

Em vez de se preocupar com a forma de distribuir os escassos recursos educacionais, o desafio que precisa começar a ser vencido é a maneira de atrair as pessoas a mergulhar no fluxo crescente de recursos de aprendizagem para criar mais oportunidade de aprendizado para as pessoas.

___

Este artigo foi adaptado do original, “The Future Of Education Eliminates The Classroom, Because The World Is Your Class”, da FastCompany.

Anúncios