8 Dicas de e-mail marketing para uma loja virtual.

Um elemento de grande importância no planejamento de marketing no e-commerce é certamente o e-mail marketing. O e-mail marketing tem como finalidade gerar RELACIONAMENTO entre lojista e consumidores.

É através do e-mail marketing que você vai se relacionar com seus atuais e potenciais clientes. Portanto, fazer a coisa da maneira correta é muito importante para que os resultados apareçam.

Sendo assim, nós elaboramos um pequeno guia com 08 dicas sobre como você pode explorar melhor o seu e-mail marketing e transformá-lo em uma ferramenta de geração de demanda.

#1. Tudo começa pelo título.

O seu e-mail marketing precisa ter um título inteligente para não passar por um folheto online, ou ser confundido com um spam. O título é justamente o gatilho, e é ele que vai fazer o cliente abrir o seu e-mail, ou manda-lo para a lixeira.

Sendo assim, a primeira coisa a fazer é criar um título que não pareça com um anúncio, e fugir de palavras como “oferta”, “promoção”, “queima de estoque”, “imperdível” e outras do gênero.

A verdade é que as pessoas costumam abrir e-mails que possuam um título que seja ao mesmo tempo atraente, simples, direto e sem enrolação.

Por isso, títulos como “Seleção de produtos para o feriadão com as crianças” soa bem melhor do que “Oferta imperdível para o final de semana”.

#2. O conteúdo precisa ser personalizado.

O cliente precisa receber e-mails com MENSAGENS que tenham a ver com o seu perfil. Portanto, se o cliente comprou um computador, talvez ele não tenha nenhum interesse em receber um e-mail com ofertas de produtos de beleza.

Você precisa segmentar os clientes por interesse e enviar e-mails com ofertas de acordo com esses interesses, porque caso contrário os e-mails não surtiram nenhum efeito e passarão a ideia de que você não presta atenção ao que o cliente compra.

O segredo em um e-mail marketing é mostrar para os clientes aquilo que eles querem comprar, e não o que você quer vender. Senão, o negócio acaba soando como empurroterapia e ele se enche.

#3. Utilize um sistema de envio.

O principal motivo pelo qual você deve usar um sistema de envio de e-mail marketing são os relatórios analíticos. Não adianta você sair mandando e-mails para todo lado sem conseguir medir se a coisa toda está funcionando.

Por isso, antes de pensar em e-mail marketing encontre a ferramenta adequada para monitorar os seus envios.

Tenha em mente as seguintes métricas quando for analisar os relatórios de envio:

  1. Quantos e-mails foram enviados?
  2. Quantas pessoas clicaram em alguns dos links do e-mail?
  3. Quais links foram mais clicados?
  4. Quantos cliques resultaram em compra ou atingiram a meta do site?
  5. Quantos visitantes retornaram?
  6. Quantos usuários saíram da lista?

Tudo isso é de grande importância para que seja possível medir o alcance e a eficácia dos e-mails que você anda enviando.

Além disso, os relatórios analíticos servem para você pautar as suas próximas campanhas. As próximas campanhas precisam ser influenciadas pelas campanhas que tiveram maior retorno.

#4. Cuidado com o spam.

A primeira coisa a fazer depois que seu e-mail estiver pronto é checa-lo para ver se ele vai passar pelos filtros dos principais servidores. A maioria dos sistemas de envio tem um checador de spams e é muito importante essa análise.

Muitas mensagens acabam não chegando ao seu destino simplesmente porque os filtros as classificam como spam. Portanto, caso o checador dê sinal vermelho para o seu e-mail, descarte-o e faça outro.

#5. Dê liberdade para as pessoas entrarem e saírem.

O seu e-mail marketing precisa dar ao cliente a liberdade para sair da sua lista quando ele quiser. Assim, não se esqueça de incluir um link para o cancelamento do recebimento dos e-mails. E assegure-se, principalmente de que esse link funcione, e que todas as solicitações de exclusão sejam realmente atendidas.

Se o cliente tem o direito de entrar quando bem entender na sua lista de envios, ele também tem o direito de sair. Seja simples e direto. Deixe-o livre pra entrar e sair quando quiser.

#6. Construa a sua própria base de envio.

Por mais que seja tentador comprar uma base de dados com duzentos mil e-mails cadastrados, essa não é uma boa maneira de começar a espalhar o conteúdo de seu e-commerce por aí.

Isso porque você não conhece aqueles e-mails, não conhece as pessoas e, não sabe se eles têm o mínimo interesse naquilo que você vende. Portanto, esqueça a ideia de comprar uma base e cresça de maneira inteligente.

O ideal é deixar com que os interessados se cadastrem. Ao mesmo tempo, envie os e-mails para os clientes que já compraram de você. Essa é a melhor receita para um e-mail marketing que funciona.

Além disso, no momento em que o cliente se cadastrar peça para que ele informe seus interesses. Será dessa forma que você segmentará um cliente que ainda não comprou.

Assim, quando você enviar algum e-mail marketing, o cliente provavelmente se interessará em abri-lo.

#7. Envie mensagens não comerciais.

Esse é um fator que pode ser muito positivo para a sua marca. Não foque apenas no envio de promoções e lançamentos.

Intercale o envio de mensagens comerciais com outras mensagens, como artigos, dicas, informações úteis e conteúdo relevante e de qualidade, isso vai aproximar o consumidor da sua marca.

#8. Teste o seu template.

Não adianta você ter o template mais bonito se ele não funcionar.

Assim, envie as primeiras mensagens para você mesmo e veja como o e-mail marketing se comporta quando aberto nos principais serviços de e-mail. Caso o resultado não seja positivo, faça as alterações necessárias e continue testando até o resultado ser satisfatório.

Nós acreditamos que essas dicas transformarão de uma vez por todas os seus e-mails em uma ferramenta interessante e relevante que chame atenção dos clientes.

O e-mail marketing é uma ótima estratégia para aumentar a fidelidade dos visitantes e as taxas de conversão do seu e-commerce. Seguindo essas dicas, temos certeza que o e-mail marketing se transformará em uma ferramenta de marketing que faz a diferença para a sua loja virtual.

Este post foi faz parte de uma série de posts escritos por mim e pelo Ricardo Jordão Magalhães e publicado originalmente no Blog da Rakuten.

Receita de E-mail Marketing.

Um dia o e-mail foi um diferencial. UM DIA.

Hoje, todos mandam e-mail. Todas as empresas, todas lojinhas da internet mandam pelo menos um e-mail marketing. MAS, eles não dominam como fazer a coisa. Eu posso compilar aqui milhares de e-mail totalmente medíocres, que não chamam atenção de ninguém.

MUITOS. Isso porque as empresas estão simplesmente focadas em fazer. Têm que fazer e-mail pra atrair clientes. Têm que fazer e-mails pra fazer girar o estoque. Têm que fazer e-mails pra divulgar a marca da empresa. MAS, um e-mail mal feito AFASTA clientes. Um e-mail mal feito faz o estoque aumentar, ao invés de vender. Um e-mail mal feito QUEIMA a marca da empresa.

SIM. O tiro sai pela culatra. E quando falamos de internet, um pequeno tiro, uma pequena fagulha pode ser transformada em um grande incêndio. MUITO GRANDE.

A confecção de e-mail marketing tem que ser CUIDADOSA. E quando eu digo cuidadosa, não estou dizendo PERFEITA. Já vi empresas atrasarem em quase uma semana um e-mail por causa de perfumaria. Por causa de detalhes imperceptíveis para o cliente. Por causa de um sombreado branco, que era pra mudar pra cinza claro.

Toda campanha de marketing precisa ser rápida, simples e objetiva. Precisa ser rápida, mas não momentânea. Precisa ser objetiva, porque precisa ir direto ao ponto. Precisa fazer o que veio fazer e deixar alguma coisa no ar. Precisa ter alguma coisa no ar pra levar o cara pro site. Pra que ele procure por alguma coisa no site. Pra que o e-mail não fique só no e-mail. O e-mail é um chamativo. Precisa levar o cliente até algum lugar. Precisa levar o cliente pro site, pro carrinho, pra algum lugar. Por isso precisa ser objetiva. Precisa ter um objetivo. Mandar e-mail apenas por mandar não traz resultados.

MAS… é preciso fazer. MAS, não de qualquer jeito. Existem alguns princípios, diretrizes e dicas que podem fazer o seu e-mail marketing ser mais eficaz. A Revista VendaMais de Janeiro listou nove deles. Confira abaixo:

1. Não faça spam. Dispare sua ação apenas para as pessoas que autorizaram o envio de mensagens promocionais. Siga as normas do Código de Autorregulamentação para a Prática de E-mail Marketing (www.abemd.com.br).

2. Não se pareça com spam. Não use links para arquivos “.exe”, “.pif” e outros. Evite colocar no texto palavras como “grátis”, “imperdível”, “promoção” e outras associadas a mensagens promocionais, preferindo aplicá-las como imagem. Personalize sua peça. Além de fortalecer sua comunicação, a diferença entre as mensagens enviadas reduzirá a possibilidade de elas serem interpretadas como spam pelos servidores.

3. Teste os filtros antispam. Crie diversas contas gratuitas de e-mail (gmail, yahoo, hotmail, etc.), dispare sua mensagem para elas e confira se foram recebidas. Caso seja bloqueada, altere a peça e teste novamente até detectar qual é o elemento que está gerando o bloqueio.

4. Seja relevante. Dispare sua ação para as pessoas com perfil e interesses parecidos com os de seus atuais clientes.
Crie em versões diferentes para cada segmento, utilizando a linguagem adequada e explorando os benefícios que cada grupo mais valoriza.

5. Desperte o interesse. Use o campo do assunto para fazer uma oferta ou explorar um benefício.Posicione sua logomarca e sua melhor oferta/benefício no alto e à esquerda da peça para que eles apareçam no painel de preview.

6. Seja claro e objetivo. Use textos curtos. Concentre-se na oferta principal e inclua links para mais informações. Dê instruções claras e fáceis de serem localizadas na peça sobre o que o destinatário deve fazer. Transmita um tom de urgência, dando um prazo de validade ou um brinde aos primeiros pedidos.

7. Escolha o melhor dia para o disparo. Evite sexta-feira e segunda-feira, a véspera e o dia seguinte dos feriados, em que o volume de e-mails na caixa de entrada é maior.

8. Mensure cada etapa da ação. Endereços inválidos (bounces) – Reveja sua lista de e-mails errados ou caixas postais lotadas. Taxa de e-mails abertos (abertura) – Mede quantas pessoas abriram sua mensagem. O que pode prejudicar essa taxa são os destinatários fora do perfil, linha de assunto de baixo impacto, remetente desconhecido ou peça bloqueada por filtros antispam. Taxa de e-mails clicados (click through) – Indica quantos destinatários clicaram em links para conhecer melhor a oferta ou fazer o pedido. As possíveis causas de baixo resultado são o esgotamento do assunto na peça principal, textos muito longos ou problemas com o layoutCadastros preenchidos ou pedidos conquistados – É o que realmente interessa, mas depende dos indicadores acima.

9. Teste e melhore seus resultados. A grande vantagem das ações de e-mail marketing é a possibilidade de testar inúmeras alternativas em pequenos volumes e, então, realizar a ação vencedora para o público. Faça diferentes testes com listas, ofertas, linhas de assunto, benefícios, textos, formas de pagamento, etc.

O Futuro do E-mail Marketing.

O Brasil é campeão em envios de Spam. Campeão mundial. A Cisco divulgou ontem, seu relatório anual de segurança de 2009. Segundo os dados do estudo, o ranking mostra um crescimento de 192% no volume de lixo produzido eletronicamente. Assim, o Brasil lidera o ranking de spammers, seguido pelos EUA, segundo colocado na pesquisa. O Top 10 de produtores de lixo eletrônico, conta ainda com Índia (3° lugar); Coréia do Sul (4° lugar); Turquia (5° lugar); Vietnã (6° lugar); China (7° lugar); Polônia (8° lugar); Rússia (9° lugar); e Argentina (10° lugar).

Mesmo assim, um e-mail marketing LIMPO e com CONTEÚDO continua sendo um grande investimento para 2009. E-mail marketing é uma ferramentaque além de promover a sua marca, promove ainda a sua empresa como especialista. Especialista em micro-empresas, em informática, em agricultura. É muito mais do que uma SIMPLES OFERTA. E-mail marketing verdadeiro é feito com conteúdo mais ofertas.

Conteúdo, para educar os seus clientes. Mostrar novos caminhos e ajudá-lo a inovar. Conteúdo aliado a ofertas para ajudá-lo a escolher. Um cliente, na maioria das vezes não sabe o QUE comprar. Por dia são enviados milhares de e-mails de oferta de produtos baratos. MAS, ninguém envia um e-mail com produtos ENSINANDO como escolher o melhor produto para determinada pessoa.  Conteúdo ainda, para ajudar a justificar a escolha. Para ajudar a responder as perguntas certas: POR QUE do investimento? QUAL investimento? O e-mail marketing além de ofertas precisam unir informações, conteúdo, além de educar o consumidor.

E-mail marketing serve para MOSTRAR INOVAÇÕES para o cliente, não para OFERECER produtos. Vence quem souber aliar INOVAÇÃO + PRODUTOS + CONTEÚDO + DESIGN.

Ainda sobre o e-mail marketing e suas tendências em 2010, Chad White prevê o seguinte:

1. Campanhas de reativação vão se tornar mais importantes.Segundo Chad, os provedores estão dando mais peso a métricas de envolvimento para determinar se uma mensagem vai para a caixa d entrada ou para o lixo eletrônico – e até mesmo se o email deve ser bloqueado. Quem tem 50% ou mais de clientes inativos terá que desenhar estratégias para diminuir esse nível. Começando com a definição do que “inativo” significa para cada empresa, progredindo para táticas de segmentação e, possivelmente, culminando com campanhas que darão a possibilidade do cliente inativo voltar a ser ativo ou optar por sair da lista. Comentário: no Brasil, isso também deverá ser uma tendência, na esteira do código de regulamentação do email marketing que entrará em vigor por volta de março de 2010;

2. Serão lançados mais Preference Centers. Os consumidores estão exigindo ter mais controle sobre as mensagens que os atingem e estão reagindo duramente quando elas não são relevantes. Preference Centers são uma ferramenta chave nessa luta por mais relevância. Principalmente, porque até agora email marketing funcionava, do ponto de vista do consumidor, como uma caixa preta tanto em termos de conteúdo como de freqüência. E isso criou uma grande falta de confiança. O resultado é que a maior parte dos emails promocionais, mesmo quando o consumidor é cliente da empresa, vai parar em caixas de entrada secundárias;

3. Processos de opt-out vão se tornar mais amigáveis e mais efetivos na retenção. Comentário: aqui no Brasil, os processos de cancelamento de assinaturas também terão que evoluir para atender o novo código;

4. Landing pages ajudarão mais nas conversões. Comentário: é impressionante como, mesmo lá nos EUA, com alguns anos a mais de experiência no assunto, em relação aos nós brazucas, ainda se envia email que cai em uma home ou outra página genérica, obrigando o consumidor a garimpar para encontrar o produto ou a oferta anunciada no email. Quem fizer um bom trabalho no mapeamento de imagens e na linkagem para as landing pages vai obter muito mais resultado. Aliás, já está obtendo hoje.