Viva o Circo!

Quando eu era criança eu me lembro muito bem de ter ido inúmeras vezes ao circo. No jardim de infância, todo circo que chegava na cidade, as professoras logo organizavam uma “excursão” com as crianças para um pouco de lazer e show de arte: malabarismo, trapézio, contorcionismo e tudo mais que um circo que se preze deve ter. Circos famosos, como o do Marcos Frota, circos desconhecidos, todos os tipos deles. Quer um lugar melhor para ver espetáculos criativos que mexe com a cabeça das crianças? Fantasia, brincadeira, risco e muito profissionalismo. Tudo isso em um só lugar, o circo fez parte da minha infância, mas veio desde a minha geração perdendo o prestígio diante do público. Mas o circo continua sendo um ótimo lugar para inspirar a criatividade, trabalhar o imaginário e a curiosidade dos pequenos.

De uns tempos pra cá as coisas vêm melhorando, com os chamados circos contemporâneos, como o Cirque du Solei, o Circus Traces, que vêm reinventando a forma de se apresentar malabaristas, equilibistras, contorcionistas, todos juntos em um espetáculo onde o que vale é a arte. Os circos contemporâneos juntam tudo isso, com uma história no pano de fundo, muita coreografia, alegria e muito mais novidades do que o globo da morte. Instiga muito mais a imaginação, aliando todo o talento dos artistas a uma direção de arte, jogos de luzes e cenários, que fazem a imaginação das crianças – e também dos adultos – voar longe.

No início desse mês eu fui a uma apresentação do Circo Nacional da China, um circo que tem a roupagem contemporânea que fez outros circos ficarem conhecidos. É incrível. Mais do que nunca eu pude ver crianças olhando atentamente a todos aqueles artistas fazendo acrobacias com suas fantasias em um cenário, com um enredo, muita música de fundo e uma história por trás disso tudo, ou seja, um teatro do circo. Daí eu pude perceber como isso é importante para a criatividade, para a imaginação, para a infância das crianças. O espetáculo tem um enredo, mas não tem uma história pré-definida. Você pode imaginar o que quiser, por que a imaginação não tem limites. Pode criar a história, pode inventar o papel de cada personagem e ainda, pode alimentar a sua criatividade através de um espetáculo de arte maravilhoso.

No meio do espetáculo eu pude perceber como aquilo tudo é importante para a nossa imaginação, para exercitar a criatividade, a capacidade de criar hoistórias, para a experiência das pessoas. O circo está voltando ainda melhor e mais excitante… com histórias, novas coreografias, novos artistas, novos espetáculos e está mexendo com a criatividade de todo mundo. É impossível sair de um espetáculo desses sem se sentir mais leve, mais criança, mais sonhador e, acima de tudo, mais feliz. As crianças que estavam ao meu lado, ao tempo todo perguntaram aos pais o que estava acontecendo, quem era aquele, se era o “monstro” ou o “herói”, se eles iriam salvar a mocinha raptada e todas elas aplaudiram quando o vilão foi capturado. Tudo isso, elas entenderam sozinhas – ou quase, com apenas um pouco de ajuda dos pais – por que não havia nenhuma história contada por ninguém.

Toda criança deve ir ao circo.. ao novo circo, à nova arte do circo. Circo faz bem pra imaginação, pra criatividade, para o humor e o espírito. Imaginar quanto deve ser maravilhosa a sensação de estar no trapézio, criar uma história de pano de fundo, se divertir com a habilidade de pessoas bem treinadas que desafiam à leis da física, torcer para o mocinho terminar com a sua amada e vibrar com cada coreografia não esperada, com toda a produção, com toda a tecnologia empregada em nome do lazer, da cultura e da arte do circo.

Toda criança merece ir ao circo. Toda criança merece presenciar um espetáculo desses. Para estimular a criatividade e a imaginação. Tire, nem que seja por um dia, o video-game do seu filho, e faça ele se divertir como se fazia antigamente. A tecnologia pode ter nos dado jogos que estimulam a tomada de decisões, o pensamento estratégico, a postura e a personalidade. MAS, ainda sim, a criatividade é o embrião da inovação e sem ele, o resto é apenas conhecimento. O lazer a moda antiga tem muito a contribuir para a formação da personalidade, do caráter e da inteligência de uma criança. Substitua pelo menos uma vez, o video-game pelo circo, pelas brincadeiras com pessoas de verdade, bolas de gude, pipas, taco, futebol, damas e xadrez. Já diz o ditado, “mente sã e corpo são”. Não permita que as crianças do amanhã vivam enclausuradas em um ambiente digital, sem contato com coisas, pessoas, emoções, possibilidades e desafios reais.

Embasado por grandes psicólogios, psicoterapeutas e psiquiatras da área eu afirmo: a infância é o espelho do futuro. Por isso, educação e carinho é fundamental. Por isso, viva o Circo! Viva a criatividade e a imaginação.