Faça da Leitura o seu Porto Seguro.

A leitura é a única responsável por lhe presentear, diariamente, com o conteúdo mais relevante que existe.

Há muito tempo atrás, aqui no blog, eu iniciei uma série – pequena – sobre liderança.

Essa série é baseada no livro de John Wooden, “Jogando Para Vencer”, que na verdade é o que o autor chama de checklist da liderança. Atitudes e comportamento pelas quais todos os líderes devem passar e, praticar diariamente.

Os sete itens são:

#1. Seja verdadeiro consigo mesmo;

#2. Ajude os outros;

#3. Faça de cada dia a sua obra-prima;

#4. Leia bons livros, sobretudo a bíblia;

#5. Transforme a amizade em uma arte;

#6. Construa um abrigo para os seus dias de chuva; e

#7. Ore todos os dias para pedir orientação e agradecer as bênçãos que recebeu.

Hoje eu vou falar sobre o quarto tópico desse checklist de liderança: o que a leitura pode fazer por você!

Eu já disse por aqui, algumas vezes insistentemente que nós podemos aprender de duas maneiras: com a nossa experiência e com a dos outros.

A leitura é uma das maneiras que temos de aprender com a experiência dos outros. É ela – a leitura – que pode nos fazer enxergar o mundo de outra maneira e alimentarmos nossa mente.

A leitura transforma pessoas. Através da leitura mudamos nosso pensamento, aumentamos nossa bagagem cultural e abrimos espaço para o nosso. A leitura é a melhor aliada para transformar o mundo em um lugar melhor para se viver.

Eu sempre amei a leitura.

Dizem que o exemplo transforma as pessoas. Não sei até aonde isso é verdade dentro das famílias. A verdade é que eu sempre gostei de mergulhar em livros e, me tornei uma pessoa melhor através da leitura.

Hábito de Leitura | ThinkOutside - Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

Faça da leitura um hábito. Este é o menor caminho até a liderança.

A leitura é maneira pela qual líderes e empreendedores busca respostas por conta própria.

É verdade que perguntar é mais fácil do que procurar a solução. Pense bem, é mais fácil gritar por ajuda, ou buscar a solução por conta própria?

Óbvio que a segunda opção é mais difícil. Depende de você, depende do seu esforço e não do conhecimento dos outros.

Só que, quando você busca o caminho por si próprio, você aprende. Perguntar para alguém quando é dois mais dois não faz com que você aprenda o raciocínio, apenas saiba o resultado.

Quando você começa a buscar as soluções do problema sozinho, você consegue não apenas saber o resultado, mas porque o resultado é aquele.

A leitura abre caminhos.

A leitura provoca as pessoas.

A leitura estimula a liderança.

A leitura propõe desafios.

A leitura vai fazer você ser uma pessoa melhor.

Eu sempre procurei respostas na leitura. Meus desafios, questionamentos e dúvidas sempre foram transferidas para os livros, para a vivência das outras pessoas e, opiniões diferentes.

Eu acredito que quem tá de fora vê as coisas de uma maneira diferente. Se é por conta dos vínculos afetivos, por conta de bagagem cultural ou visão eu não sei. Só sei que, às vezes precisamos afastar a imagem para enxergamos todo o contexto.

E a leitura é a melhor maneira de fazer isso. Por que conseguimos perceber e entender os problemas através do ponto de vista de outras pessoas.

E enxergamos a solução de uma maneira que, por diferença de contexto, de visão, de filosofia e comportamento, pode parecer totalmente nova e imprevisível.

A leitura pode mudar a sua vida.

Grandes líderes não seriam nada sem a leitura. Pessoas disruptivas não seriam nada sem a leitura. O mundo é um grande compêndio de inovação através da leitura.

Duvida?

Os grandes líderes, antes de mais nada, são grandes fãs da leitura. Liderança se faz com exemplo e a leitura é uma grande forma de passar seu exemplo, seu modo de fazer e enxergar as coisas adiante.

Mudar o mundo começa com um pequeno passo: a abertura de um livro. Mudar você começa com um pequeno passo: abrir um livro.

Grandes mudanças começam na leitura.

Grandes pessoas começam com a leitura.

Grandes avanços começam na leitura.

Grandes revoluções se iniciam com leitura.

A leitura começa tudo, estimula tudo e, por que não, encerra tudo.

Portanto, é óbvio que a leitura é um passo importante na liderança. Ler não vai, em hipótese alguma transformar você em uma pessoa pior. Por que a leitura vai abrir sua mente, propor perguntas e mudar comportamentos.

Quando fechamos um livro, geralmente tiramos muitas lições, ou temos muitas perguntas a responder. E é justamente essas reflexões e questionamentos que podem, ou não, transformar as pessoas em líderes, em gente melhor.

Até por que, gente melhor, faz o mundo melhor.

Até por que, gente melhor, faz o mundo.

Até por que, gente melhor faz.

Até por que, gente melhor…

Até por que, gente…

… tudo se resume à leitura.

É a leitura que vai fazer a diferença no resultado final: no comportamento das pessoas, na mudança de atitude, na liderança.

O Pêndulo da Liderança | ThinkOutside - Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

O pêndulo da liderança.

Retrospectiva 2011, Parte 1 – Os livros do ano.

Hoje é 22 de dezembro de 2011. Em pouco mais de uma semana o ano vai embora e, para muitos começa tudo de novo: novas esperanças, novas oportunidades. Para outros, apenas um ciclo se fecha. Eu vou aproveitar o finalzinho do ano pra eleger os top cinco de 2011 – até agora.

E eu escolhi começar pelos livros.

Eu sou simplesmente apaixonado por livros. Já devorei algumas bibliotecas de escolas e universidades por onde passei. Acho o livro o presente mais legal de se dar e receber (tanto é que quase todos os meus presentes de Natal são livros), e sempre que posso tô comprando alguma coisa. Alguma coisa que me chame atenção, alguma coisa que me provoque, alguma coisa que seja diferente.

Eu leio coisas que pra mim têm a ver com Branding, Marketing & Vendas e Empreendedorismo. Essas são as minhas maiores paixões e, acredito que todo bom livro desses temas tem ótimas lições para nos demonstrar. A partir do momento em que eu começo a ler um livro, eu só descanso depois que eu terminei e já comecei a ler outro. Acredito que a paixão pela leitura diferencia totalmente as pessoas que fazem a diferença daquelas que não tão nem aí.

Acredito que os livros são as bases, os pilares para o avanço na educação, na economia, na política e nos rumos do país. Por isso vou começar essa retrospectiva das melhores coisas com os livros.

#5. A Cabeça de Obama, de Sasha Abramsky. Este é um livro que fala sobre como Obama elaborou suas estratégias para vencer praticamente todas as eleições que disputou. Você sabia que Obama até hoje, em todas as eleições e disputas em que se meteu só perdeu uma vez uma prévia de seu partido? Até hoje, apenas uma pessoa derrotou Obama. O hoje presidente os EUA é um advogado formado, um leitor voraz e um escritor altamente determinado que, aos trinta anos publicou sua autobiografia. A maneira de agir aos problemas, aos ataques dos adversários, de se posicionar, de traçar as estratégias de uma campanha limpa, sem apelações, além de mostrar a grande aceitação de um negro às vésperas da eleição presidencial de um país altamente preconceituoso fazem do livro “A Cabeça de Obama” um tratado sobre o pragmatismo, sobre posicionamento e sobre liderança. Obama levou a internet pra dentro de sua campanha, mostrou ser uma pessoal altamente centrada e focada nos objetivos principais de sua estratégia, a ponto de ignorar, ou antecipar, quando convém os ataques de seus adversários políticos. Além disso, sabe usar esses adversários a seu favor, quando necessário. Sem sombra de dúvida é um livro que se faz necessário para aprendermos sobre como agir pragmaticamente e, sobretudo aliar o pragmatismo à decisões estratégicas. Uma aula de marketing político.

#4. A Nascente, de Ayn Rand. A Nascente é o primeiro livro a fazer sucesso de Ayn Rand. A Nascente conta a história de Howard Roark, um arquiteto que tinha um estilo peculiar de trabalhar e que tem uma visão bastante inovadora em seus projetos de construção. Porém, tal maneira de trabalhar encontra muito preconceito e inveja em profissionais que estão acomodados e que não querem mudar o status quo. Isso faz com que Howard Roark encontre pela frente barreiras e inimigos dispostos a derrubar o seus trabalhos e suas ideias. A Nascente é um tratado aos empreendedores, aqueles que rompem com a mediocridade e que com isso, muitas vezes acabam pagando o preço de ter todos contra suas ideias e seus projetos brilhantes. Ayn Rand explora em A Nascente que, o egoismo é a nascente do empreendedorismo, uma vez que o empreendedor constrói para si mesmo e não para os outros. Ele não trabalha pela oportunidade de atender clientes, ou pela oportunidade de ter o seu trabalho reconhecido, mas sim pelo individualismo, por poder ter o seu desejo saciado. Essa é a base da doutrina filosófica da autora – o objetivismo, que prega que o objetivo da vida é atingir a própria felicidade e o seu interesse racional, e não pela vida dedicada a terceiros. É do filme – e consequentemente do livro – de A Nascente a famosa cena na qual Howard Roark discursa no tribunal, durante alguns minutos, em nome do individualismo. A cena pode ser vista abaixo:

#3. BrandSense, de Martin Lindstrom. BrandSense é o nome de uma pesquisa que Martin Lindstrom coordenou e que serviu de estudo sobre o impacto em que apelos sensoriais (além de apenas visão e audição) podem causar nos clientes. Entre os exemplos do livro, um caso aonde uma loja de conveniência instalou na sessão de roupas de banho um odorizador que borrifava um perfume de “leite de coco” e que, fazia com que as pessoas, em pleno inverno, visitassem esse departamento e sempre levasse alguma coisa. Outras coisas como o cheiro de pipoca na porta dos cinemas, poucos instantes antes do filme começar fez com que um cinema que vivia constantemente vazio começasse a encher as suas sessões. Eu acredito que BrandSense seja um dos livros de marketing do ano. Talvez só não seja O livro do ano, porque seu original é de 2005, e assim como muitos outros livros excelentes do autor (como Brandwashed) ainda não chegaram no Brasil traduzidos ou estão chegando só agora (como A Lógica do Consumo, que foi o primeiro livro de Martin a ter sua versão em português).  Martin brinca do livro que a soma dos dois sentidos mais utilizados pelas marcas (visão e audição) já surte efeito. Porém, caso as marcas utilizem todos os sentidos, os resultados podem ser muito maiores. Ele brinca que 2+2=5. Mas que se usarmos os cinco sentidos, teremos (2+2)+(2+2)+(2+2)+(2+2) = 20. Esse livro é altamente indicado para qualquer pessoa que se diz trabalhar em marketing.

#2. Regras Para Revolucionários, de Guy Kawasaki. Regras para Revolucionários é uma dessas relíquias que só quem é realmente “rato de livraria” encontra. Eu tenho o hábito de ficar passeando por livrarias, perder algumas horas vendo algumas coisas, alguns itens e vendo se tem algum achado nisso tudo. Em Novembro, em um passeio despretencioso por uma livraria pequena e familiar de Quatis eu encontrei esse livro, que é de 1999. Esse livro é antes do boom do e-commerce, antes de empresas como a Zappos transformarem a forma de fazer negócio pela internet. Mas, mesmo assim é um excelente guia de marketing para marcas revolucionárias. O livro é dividido em três partes:  crie como um deus, comande como um rei, trabalhe como um escravo. Aqui, Guy Kawasaki conta algumas lições de empresas – inclusive a Apple, a qual ele foi evangelizador – e sobre alguns métodos que até hoje podem ser inovadores para o desenvolvimento de estratégias de marketing de produtos e serviços. O livro fala sobre colocar o dedo na ferida, sobre não ter medo de errar, sobre riscos, sobre os imãs fatais, que podem ser armadilhas a qualquer negócio e sobre o porque ele é a favor de a Apple ter licenciado o seu sistema operacional para outras máquinas, o que Steve não estava de acordo. A lição que Guy Kawasaki deixa de Regras para Revolucionários lá em 1999 é CRIAR SEGUIDORES E NÃO CONSUMUIDORES. Posso dizer que, mesmo sendo da década retrasada, esse é um livro muito atual e, leitura obrigatória pra todas as marcas que querem contar boas histórias e criar bons produtos para seus seguidores.

#1. Steve Jobs por Walter Isaacson. Steve Jobs não poderia faltar na lista dos melhores livros do ano. Talvez tenha sido o único livro que virá a ser um best seller que eu li esse ano. Mas não por estar na moda e, sim por eu ser um seguidor de Jobs e um grande admirador da maneira com que ele criou e revolucionou mercados. A biografia autorizada de Steve Jobs não poupou em nenhum momento o seu lado obscuro, como o fato de ter simplesmente ignorado sua primeira filha, e seus hábitos higiênicos escusos. Saber como Jobs criou a Apple, a NeXT, a Pixar e voltou para revolucionar mais uma vez a Apple é simplesmente sensacional. Mais sensacional ainda é ver as pessoas falando do campo de distorção da realidade de Steve e de seu poder de convencimento junto às outras pessoas. A biografia de Steve Jobs é um curso de empreendedorismo, marketing, inovação, design, apresentação, criação e desenvolvimento de produtos. É um daqueles livros que você quer ler o quanto antes mas, ao mesmo tempo não quer que acabe. Jobs era um cara tão fora do comum que atribui muitas coisas das que ele idealizou na Apple às suas viagens de quando ele estava chapado de LSD. Disse que ele – o LSD – foi muito importante para o seu futuro. E diz isso com uma convicção tão grande que, em alguns momentos realmente me deu uma grande vontade de experimentar. Acredito que, é essa mesma força e essa mesma distorção da realidade que ele usou para atrair pra si pessoas foras do comum e extraordinárias e criar empresas que continuam revolucionando mercados e rompendo barreiras mesmo depois de ele ter morrido. Coincidência ou não, o primeiro e segundo lugar são ocupados por mentes que estavam por detrás de lançamentos dos produtos extraordinários da Aplle: Steve Jobs e Guy Kawasaki.

Bonus: A Imaginação, de Jean-Paul Sartre. A imaginação é um pequenino livro de bolso de Sartre. Um livro do início da sua carreira universitária, muito distante daquele que seria o autor sensacional de “O ser e o nada”, e livro em que Sartre usa a fenomenologia criada por Edmund Husserl para traçar uma história sobre a filosofia e a imaginação. Eu acredito que a filosofia tem grande peso no que diz respeito ao empreendedorismo e  este, antes de ser um comportamento precisa ser uma filosofia, um modus na vida das pessoas. Acredito ainda, que a filosofia é uma grande maneira de re-pensar soluções para estratégias, produtos e empresas. Entender como as ideias funcionam, como as ideias se encaixam e como as coisas se definem é um belo caminho para se tratar estratégias de marca, de produtos e de vendas. Todo empreendedor é, no fundo, um filósofo. E é justamente esse legado que eles deixam: a sua corrente de pensamento, a suas ideias, e não apenas suas realizações.

Eu desejo que, em 2012 você possa ler ainda mais, possa aprender ainda mais com os livros. Sem leitura, não formamos líderes, não formamos empreendedores, não levamos o país pra frente.

Conselho #1 de ano-novo: em 2012 leia mais do que em 2011, aplique o que aprendeu na leitura em prática e, passe o conhecimento adiante.

Que venha 2012 com mais livros sensacionais!!

Dia Mundial do Livro.

Ontem, dia 23 de Abril foi o dia MUNDIAL do Livro. Eu acredito no livro acima de tudo para ajudar a sermos pessoas melhores. Acima de faculdades, os livros têm a capacidade de nos passar a vivência de inúmeras pessoas, as opiniões, os saberes, as experiências e desventuras, que muitas vezes ficam de fora de um curso universitário. A universidade é o universus, simboliza o conhecimento universal. O livro é a PORTA de entrada para esse novo UNIVERSO DE SABEDORIA. Eu gostaria que todo brasileiro alfabetizado lesse pelo menos um livro a cada dois meses. Eu sei que a meta de um ou dois por mês é otimista demais e, por isso, não posso forçar ninguém a serguir esse padrão. MAS, um livro a cada dois meses é totalmente possível. São menos de dez páginas por dia em alguns meses.

ESTUDE OS LIVROS!! Mergulhe de cabeça no mundo do conhecimento.

Algumas livrarias lembraram da data, e hoje recebi dois ou três e-mails em homenagem ao Dia do Livro.  Fretes grátis, oitenta por cento de descontos e muitas ofertas marcaram o dia de hoje nas maiores livrarias do país. Eu espero que o incentivo tenha servido para alguma coisa, além de aquecer as vendas. Afinal, livro não é simplesmente um artigo de prateleira.

livro

O que Podemos Aprender com a Microsoft?

Nos últimos dias eu estive lendo um livro que peguei na Biblioteca da ArmRebel chamado “Os Segredos da Microsoft – Os Bastidores da Empresa Mais Criativa e Bem-Sucedida de Todos os Tempos“. O livro é de 1998, mas muita coisa nele abordada é muito atual e todos os temas abordados 

microsoft

por Julie Bick, devem ser estudados e considerador por toda empresa que pensa em vencer no século XXI. Julie tem uma forma de escrever 

muito dinâmica e bem-humorada, onde todos os Princípios abordados no livro são implementados por algumas histórias,  muitas delas que encontramos no dia a dia.

O livro é dividito em partes como: Tudo que eu precisava aprender sobre como gerenciar um negócio aprendi na Microsoft; Tudo que eu precisava saber para executar bem meu trabalho eu aprendi na Microsoft; Tudo que precisava saber para ser uma boa líder aprendi na Microsoft; Tudo que eu precisava saber sobre comunicação eu aprendi na Microsoft, e finalmente, Tudo que eu precisava saber para administrar minha carreira eu aprendi na Microsoft. O livro é pequeno, mas ilustra inúmeros princípios e cultura dos Microsofties (funcionários da Microsoft).

Eu vou fazer um pequeno resumo sobre os pontos que eu acho que devem ser levados (mais) em conta e oas lições que podemos tirar com a cultura Microsofot.

1. Coma a Ração Canina, não Acredite em seus Próprios Press Releases. Você deve conhecer o seu produto a fundo. Tanto os mais novos, quanto os antigos e consagrados. Você precisa utilizar o seu produto e conhecê-lo mais do que qualquer um como usuário, funcionário e APAIXONADO POR TECNOLOGIA. Não importa se ele ainda está em fase de testes com vários erros, se ele é uma porcaria, ou se é a menina dos olhos da empresa. Teste e estude o seu produto.

2. Analise seus Erros e Permita que as Pessoas Falhem. É aqui que entra aquela conhecida histórinha da Microsoft, em que um gerente, todo alegre envia a sua equipe um e-mail dizendo que o produto deles tinha ganhado nova entre dez prêmios oferecidos. A resposta, todo mundo já conhece, foi o questionamento da equipe sobre qual prêminho não haviam ganhado e por que. Se já erramos, deu errado nós devemos aprender com isso. Seja através de atitudes que NÃO DEVEM ser repetidas ou através de um case sobre o problema e como isso poderá ser uma vantagem no futuro. Permitir que as pessoas falhem é ENCORAJAR-LAS a ACEITAR cada vez mais DESAFIOS sem o medo da recriminação ou do fracasso. Até as melhores pessoas podem entrar em projetos fracassados e ninguém está a salvo de ter um projeto falho. Pior do que a certeza do erro é a expectativa do sucesso. Ter certeza de uma falha é cuidar para que ela NUNCA MAIS SE REPITA. Na Microsoft, pessoas que falharam, entraram em projetos que não deram certo e tiveram esse tipo de experiência, geralmente acabam sendo promovidas, pois a Microsoft SABE que um fracasso contribui para o aprendizado de seus funcionários. Não tenha medo de dar errado ou falhar. ERRAR É HUMANO, APRENDER COM OS ERROS É OBRIGATÓRIO!!

3. Deixe que Seus Funcionários Ouçam os Clientes. Precisa mencionar que os funcionários tem que ter um relacionamento plus com os clientes?? NÃO. Todos na empresa devem se envolver com os clientes, devem se especializar cada vez mais em relacionamentos produtivos com os clientes. Relacionamento, atenção é o mínimo que uma empresa pode fazer para continuar viva.

4. Um Cliente, Uma Mensagem. Uma mesma coisa pode ter significados diferentes para clientes diferentes. Um produto é apenas um produto, até que você explique ao seu cliente o para que ele precisa dele. E, raramente, as razões e as necessidades são iguais. Isso é 1-a-1. Tratar cada cliente como um indivíduo e não como parte do todo.

5. Aja Como um Líder. Empresas precisam de LÍDERES, não de funcionários, que simplesmente são mais um número e não uma cabeça. Empresas precisam de pessoas que não tenham medo, que assumam riscos calculados e que leve o projeto até o final, que não espere que ninguém delegue as funções e esteja sempre pronto para as mudanças.

6. Pense Três Lances à Frente. Eu não jogo Xadrez, mas acredito que esse deve ser um ensinamento que todo enxadrista deve aprender desde cedo. NUNCA se empolgue com a alegria e com as possibilidades imediatas. Pense sempre na frente, na Sexta-Feira, ou seja, no final das coisas. Pense NOS MÍNIMOS DETALHES, nas POSSIBILIDADES  e faça o milagre de PREVER O FUTURO. Pense sempre no dia de depois de amanhã, na semana que vem, em Dezembro, ou seja, NUNCA PENSE APENAS NO AGORA! O longo prazo é o que irá assegurar o seu sucesso.

7. Coloque suas Idéias em Prática. Aquele que fala e não faz, não sabe nada. Falar e não fazer é não saber. Fazer e não falar é dar EXEMPLO. A vida é feita de exemplos, coloque as suas idéias em prática mesmo que elas demorem mais de cinquenta anos pra ficarem prontas. Nunca abandone os seus sonhos, nem as promessas que você se fez. Nunca se esqueça do velho ditado, “falar é fácil, fazer é difícil“. Faça primeiro, fale depois. Começe e apenas comece. Mesmo que com poucos recursos, pouca tecnologia, pouca gente, comece e depois aprimore, melhore e cresça. As suas idéias e seus sonhos DIFICILMENTE sairão prontos, da forma que você sempre imaginou. Comece com pouco e transforme-se no que você sempre sonhou gradativamente.

8. Tenha Sempre Pronto o seu Discurso de Elevador. Nós nunca sabemos onde encontrar pessoas que podemos falar sobre os nossos negócios, sobre a nossa empresa e sobre o nosso produto. No livro Alta Performance em Vendas, esse “discurso de elevador” é chamado de discurso de 30 segundos e eu acredito que ele não serve apenas para o elevador. Uma venda pode ou não ser feita nos primeiros 30 segundos, por isso, você deve vender a sua empresa e o seu produto no primeiro minuto. Caso contrário, prepare-se para um possível NÃO.

9. Mergulhe no seu Concorrente. Na época em que o Lotus 123 e o WordPerfect, concorrentes da Microsoft dominavam o mercado de aplicativos de escritório, os gerentes do Word e do Excel tinham até as fotos das pessoas que ocupavam a mesma posição do que ele na concorrência. Imagina você, com a foto da pessoa que exerce a mesma função que você na empresa, “observando você trabalhar”. Isso dá gás aos funcionários, aos desenvolvedores, e a toda equipe. Os caras da Microsoft sabiam o nome da esposa, dos filhos, da mãe, irmã, pai, avô e etc., além da data de aniversário dessas pessoas. Na Microsoft existem cargos para pessoas estudarem a concorrência, MERGULHAR no produto, usar o produto, entrar em comunidades de quem AMA o produto e saber o que o faz tão TESÃO. A sua empresa se importa com a concorrência ou vocês ainda estão no aceano vermelho?

10. Antecipe as Perguntas que seu Chefe Fará. Depois que você tiver estudado sobre um determinado produto, apresentação ou proposta, estude-o novamente e coloque-se no lugar do seu chefe, pense nas perguntas que provavelmente ele irá te fazer, procure falhas na sua apresentação, erros nos seus relatórios, problemas nas suas próprias propostas. Coloque-as em cheque por você mesmo. Assim, quando os “porquês” começarem a surgir, você saberá muito bem as respostas, tanto para o seu chefe, quanto para seus clientes.

11. Ninguém Precisa Saber Tudo. Não há problema nenhum em ser pego de surpresa por uma pergunta ou questionamento que você simplesmente não sabe a resposta ou não sabe como funciona. Ninguém nasce sabendo de tudo e as “saias justas” são oportunidades de aprendizado em dobro. Primeiro, por que podemos ser supreendidos por falta de preparação e assim, aprendemos a nos dedicar mais; segundo, por que temos a oportunidade de buscar a resposta e aprendermos uma coisa que não tínhamos conhecimento. A grande sacada ao não saber como responder uma dúvida, ou algum questionamento é buscar a resposta. Mesmo que a resposta não possa ser imediata, faça contato, fique disponível e BUSQUE A RESPOSTA. Quando não souber alguma coisa, a sua atitude deve ser, “não sei, mas vou descobrir”, e descubra. Depois de descobrir, responda ao dono da dúvida e divulgue o conhecimento.

12. Seja bem-humorado, criativo e instintivo. Essas são características que podem transformar um funcionário médio em uma “estrela”. O bom-humor pode livrar-lhe de enrascadas, de armadilhas e de incidentes que você mesmo possa cometer. Ao cair no chão, o cara que levanta emburrado leva muito mais risadas e ouve muito mais sacanagem do que aquele cara que começa a rir de si mesmo, levanta e faz uma piada. A criatividade é o que vai fazer com que você reinvente a sua forma de trabalhar transformar os seus dias de trabalho em coisas novas, contribuir para o crescimento da empresa, ajudar na evolução daqueles que trabalham ao seu lado. O instinto, muitas vezes pode valer mais do que as informações e os fatos, anteriormente comprovados. Seguir os instintos significa que você tem conhecimento dos dados, dos fatos e das ordens, mas a sua intuição lhe diz, em um determinado momento que seguir um outro caminho seria válido. Combine, junto com a decisão dos especialistas, uma pitada do seu instinto. Muitas vezes, só você sabe o rumo que as coisas estão tomando e, sabe o que fazer para equilibrar ou melhorar a situação. Use o instinto para, se preciso, quando preciso, dar a volta por cima em uma situação, ganhar uma venda, marcar uma reunião com o cliente e fazer a empresa crescer. Informações e instinto devem andar de mãos dadas.

13. Seja um Divulgador de Soluções, não Problemas. Ao surgir um problema, não alardeie a empresa toda por causa do problema, comece a trabalhar na sua solução. Pense na solução e não no problema. E, ao dar as notícias do problema, fale sobre ele mas proponha a sua solução. A proporção do problema será bem melhor e as pessoas, ao ouvir a sua possível solução, ficaram aliviados e poderão ajudar na melhoria da idéia, na execução da tarefa. Isso, por que o impacto de um problema foi MINIMIZADO pela apresentação de uma solução. Mostre soluções, exponha soluções com todos e nunca foque os problemas!!

14. Seja o Chato de sua Equipe. Eu agradeço a todos os meus amigos e colegas de trabalho por me chamarem de chatos. Devemos ser o Advogado do Diabo, o bonzinho na pele de mau. O mercado não perdoa, é implacável. A chance da melhora, do aperfeiçoamento, do melhoramento é a cobrança, as perguntas, a chatice do cara enjoado que quer o bem de todo mundo, que quer ver o negócio funcionando sem maiores falhas. O chato é o firewall da empresa. Ele é a parede de fogo que faz com que a idéia amadureça, que as pessoas aprendam e que o sucesso esteja um pouco mais perto. Faça perguntas, critique idéias que você acha descartáveis, reclame sempre e COBRE MUITO. Os legais sempre agradecem aos chatos pelo seu toque peculiar aos projetos.

15. Conheça Você Mesmo. Seja Você Mesmo. Saiba de suas limitações, estude suas falhas, aperfeiçoe-se constantemente, busque a melhora e o aprimoramento, siga o caminho da verdade e do empreendedorismo. Quebre as máscaras sobre seu rosto TODAS AS MANHÃS. Seja você!!

16. Dez Maneiras de Equilibrar o Trabalho e a Vida Pessoal, por um Microsoftie. 

“1. Mantenha o hábito de marcar um encontro à noite, no meio da semana, com aquela pessoa que é importante para você;

2. Combine um encontro com um amigo na academia (não só lá, mas em outras atividades que você pratique). Você terá menos chances de não ir naquele dia se souber que há alguém esperando por você;

3. Inscreva-se para ajudar em algum programa de caridade ou para participar do conselho de algum deles;

4. Faça um curso noturno de algo que não tenha relação com o seu trabalho, como por exemplo, ioga;

5. Volte para casa às seis, jante com a família, ponha as crianças na cama e DEPOIS responda seus e-mails;

6. Compre ingressos antecipados para concertos ou teatro. Você se sentiria tão culpado jogando o dinheiro fora que, com certeza, não perderia o espetáculo;

7. Escolha dois dias da semana para sair às seis horas. Fique até a hora que precisar nas outras três noites. Isso funciona melhor se você for solteiro;

8. Nunca programe uma reunião para antes das 08:00h, nem para depois das 17:00h. E de maneira alguma nos fins de semana;

9. Planeje viagens de fim de semana. Contrate alguém para fazer as pequenas coisas que você vai acabar pondo de lado;

10. Os Microsofties só conseguem pensar em nove maneiras diferentes“.

Enfim, eu altamente recomendo a leitura desse livro para termos equipes mais conscientes de sua missão no grupo. Não é por acaso que no legado da Microsoft temos outras grandes empresas INOVADORAS. Apple, Google, Yahoo, e mais um monte de gente que sabe o verdadeiro valor de criar paixão ao invés de cumprir horário de serviço ou apenas ser mais um número.

Estou indo agora buscar o próximo livro e material de estudo por mais uma ou duas semanas…

Acorda!! Tá na hora de mudar o mundo…