Tipos de Marketing: Esse não Deve ser o seu Foco!

Muitas empresas têm o marketing como o fim, e não o meio. Abusam dos tipos de marketing e esquecem que, no centro do palco, quem deveria estar é o consumidor. Os tipos de marketing só servem como caminho até o interesse final de toda marca, o consumidor.

Independente do tipo de marketing que você faz na empresa, ele é só um meio de focar no diálogo e relacionamento com o cliente. A essência do marketing não é o marketing direto, o marketing de relacionamento, o marketing de conteúdo, o marketing digital o marketing interno, o marketing disso, o marketing daquilo e daquilo outro.

Bem. O único papel do marketing não é comunicar, não é vender, não é anunciar.

Isso tudo aí a publicidade faz sozinha, sem a ajuda de ninguém, com uma animação bonitinha cantando: “pôneis malditos, pôneis malditos, lá, lá, lá, lá, la, lá, lá”.

O foco do marketing é o consumidor. O marketing é o camisa dez de um time que liga a sua empresa, sua reputação, seu diferencial, seus produtos, seus funcionários, sua belíssima sede em uma bela avenida, ao consumidor que compra o seu produto todos os dias. Ou não.

Digital, conteúdo, direto e etc. é o canal do marketing. Marketing digital ainda é marketing. Mas só é marketing se não se concentrar só no digital e esquecer o resto. Só é marketing se o foco no final das contas for o cliente, for o relacionamento, for o contato e o diálogo. Não existe marketing sem pessoas, não SAC sem consumidor e não existe venda sem aproximação.

Tipos de Marketing - ThinkOutside | Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

Os tipos de marketing são apenas os canais para sintonizar com o consumidor.

 

Marketing deixou de ser uma atribuição apenas de um setor da empresa. TODO mundo precisa pensar marketing porque tudo influencia positiva ou negativamente o que o cliente pensa a respeito dos produtos e da empresa. Pensar marketing significa entender o poder do consumidor em comprar, e com isso tornar bem sucedido um produto, ou fracassar de vez com a empresa.

O “bom dia” do funcionário pro cliente é marketing.

O texto do e-mail do funcionário pro cliente é marketing.

A proposta que o vendedor envia pro cliente também é marketing.

O atendimento do SAC da empresa é marketing.

O tempo de resposta de uma solicitação é marketing.

O roteiro de ligações para clientes é marketing.

A maneira com que os funcionários lidam com problemas de clientes é marketing.

Todo funcionário é um embaixador da marca da empresa e, como tal é responsável pela impressão que a empresa passa para os clientes antes, durante e principalmente depois das vendas.

Eu penso que, a partir do momento que as estratégias de marketing pararem de pensar no tipo de marketing e focar no resultado que o conjunto MARKETING precisa trazer para a empresa, inclusive internamente, com os embaixadores, aí sim lojas se transformam em marcas.

As empresas, quando traçam o plano de marketing e partem pra ação prendem seu foco nele. Separam o marketing através das diversas áreas planejadas, pulverizam dinheiro com promoções, anúncios na internet, redes sociais, mas quando ganham atenção do cliente não sabem o que fazem. Não entendem que desde o começo o MARKETING era um processo para fazer com que o cliente percebesse os diferenciais da sua marca.

E por diferenciais estou falando muito mais do que preço baixo e parcelamento sem juros.

O que é diferencial pra você?

Entrega imediata não é diferencial; sede própria não é diferencial; número de funcionários não é diferencial; aceitar todos os cartões de crédito não é diferencial; ter funcionários uniformizados não é diferencial; sacola personalizada não é diferencial; etc.

Diferencial é a maneira de atender, de tratar, de fornecer o produto, de dar garantia, assistência técnica, abrir e atender chamados, de capacitar os clientes para usarem o seu produto, de evangelizar os clientes, de se lembrar dos clientes, e por aí vai.

Tudo aquilo que o cliente sente de diferente – pra melhor ou pior – é diferencial.

Tudo aquilo que você consegue despertar no cliente que o atraia para a sua marca é diferencial.

E quem cria o diferencial não é o tipo de marketing. A sua empresa tem que fazer marketing pelos meios que mais se identifica apenas por uma razão: mostrar para os clientes que é única.

No fundo, todo marketing é relacionamento. Todo relacionamento é 1-a-1. Por isso, pra fazer efeito, depois que o meio que você escolheu de marketing (digital, conteúdo, direto, etc.) faz efeito, entra em cena o verdadeiro marketing P² (pessoas x pessoas). É aí que mora a diferença. É nesse segmento que o negócio precisa funcionar.

Quando máquinas, cliques, panfletos, palavras, música e videozinhos bonitos dão lugar a pessoas, é aí, no corpo-a-corpo que o marketing faz efeito.

O resto é besteira.

O resto é boato.

O resto, é resto.

Tipos de Marketing - ThinkOutside | Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

De todos os tipos de marketing, o único verdadeiro é o 1-a-1.

 

O Futuro do E-mail Marketing.

O Brasil é campeão em envios de Spam. Campeão mundial. A Cisco divulgou ontem, seu relatório anual de segurança de 2009. Segundo os dados do estudo, o ranking mostra um crescimento de 192% no volume de lixo produzido eletronicamente. Assim, o Brasil lidera o ranking de spammers, seguido pelos EUA, segundo colocado na pesquisa. O Top 10 de produtores de lixo eletrônico, conta ainda com Índia (3° lugar); Coréia do Sul (4° lugar); Turquia (5° lugar); Vietnã (6° lugar); China (7° lugar); Polônia (8° lugar); Rússia (9° lugar); e Argentina (10° lugar).

Mesmo assim, um e-mail marketing LIMPO e com CONTEÚDO continua sendo um grande investimento para 2009. E-mail marketing é uma ferramentaque além de promover a sua marca, promove ainda a sua empresa como especialista. Especialista em micro-empresas, em informática, em agricultura. É muito mais do que uma SIMPLES OFERTA. E-mail marketing verdadeiro é feito com conteúdo mais ofertas.

Conteúdo, para educar os seus clientes. Mostrar novos caminhos e ajudá-lo a inovar. Conteúdo aliado a ofertas para ajudá-lo a escolher. Um cliente, na maioria das vezes não sabe o QUE comprar. Por dia são enviados milhares de e-mails de oferta de produtos baratos. MAS, ninguém envia um e-mail com produtos ENSINANDO como escolher o melhor produto para determinada pessoa.  Conteúdo ainda, para ajudar a justificar a escolha. Para ajudar a responder as perguntas certas: POR QUE do investimento? QUAL investimento? O e-mail marketing além de ofertas precisam unir informações, conteúdo, além de educar o consumidor.

E-mail marketing serve para MOSTRAR INOVAÇÕES para o cliente, não para OFERECER produtos. Vence quem souber aliar INOVAÇÃO + PRODUTOS + CONTEÚDO + DESIGN.

Ainda sobre o e-mail marketing e suas tendências em 2010, Chad White prevê o seguinte:

1. Campanhas de reativação vão se tornar mais importantes.Segundo Chad, os provedores estão dando mais peso a métricas de envolvimento para determinar se uma mensagem vai para a caixa d entrada ou para o lixo eletrônico – e até mesmo se o email deve ser bloqueado. Quem tem 50% ou mais de clientes inativos terá que desenhar estratégias para diminuir esse nível. Começando com a definição do que “inativo” significa para cada empresa, progredindo para táticas de segmentação e, possivelmente, culminando com campanhas que darão a possibilidade do cliente inativo voltar a ser ativo ou optar por sair da lista. Comentário: no Brasil, isso também deverá ser uma tendência, na esteira do código de regulamentação do email marketing que entrará em vigor por volta de março de 2010;

2. Serão lançados mais Preference Centers. Os consumidores estão exigindo ter mais controle sobre as mensagens que os atingem e estão reagindo duramente quando elas não são relevantes. Preference Centers são uma ferramenta chave nessa luta por mais relevância. Principalmente, porque até agora email marketing funcionava, do ponto de vista do consumidor, como uma caixa preta tanto em termos de conteúdo como de freqüência. E isso criou uma grande falta de confiança. O resultado é que a maior parte dos emails promocionais, mesmo quando o consumidor é cliente da empresa, vai parar em caixas de entrada secundárias;

3. Processos de opt-out vão se tornar mais amigáveis e mais efetivos na retenção. Comentário: aqui no Brasil, os processos de cancelamento de assinaturas também terão que evoluir para atender o novo código;

4. Landing pages ajudarão mais nas conversões. Comentário: é impressionante como, mesmo lá nos EUA, com alguns anos a mais de experiência no assunto, em relação aos nós brazucas, ainda se envia email que cai em uma home ou outra página genérica, obrigando o consumidor a garimpar para encontrar o produto ou a oferta anunciada no email. Quem fizer um bom trabalho no mapeamento de imagens e na linkagem para as landing pages vai obter muito mais resultado. Aliás, já está obtendo hoje.

Como Superar o Desafio do Crescimento?

Marcos Silva: E ae Enrico, blz?

Enrico Cardoso: Fala..

Enrico Cardoso: Beleza?

Marcos Silva: tranquilaço

Marcos Silva: até demais

Enrico Cardoso: hehehehe

Enrico Cardoso: Só alegria?

Marcos Silva: hehehe

Marcos Silva: nem

Marcos Silva: faltam dois meses pro ano comercial terminar

Marcos Silva: e eu preciso vender!!!

Enrico Cardoso: É verdade. Correria.

Enrico Cardoso: Ainda mais porque as empresas PARAM tudo no final/início do ano.

Enrico Cardoso: Eu tenho conversado com muita gente que diz que esse ano foi só pra contar. Porque tava osso.

Marcos Silva: gostaria de fazer uma enquete:

Os negócios estão frios, seus clientes não estão investindo?

Será que uma promoção ajudaria?

Marcos Silva: vc acredita?

Enrico Cardoso: O grande problema da promoção é o seguinte.

Enrico Cardoso: Ela DEVE TER um motivo.

Enrico Cardoso: Porque senão, as pessoas simplesmente vão começar a achar que você estava vendendo caro demais.

Enrico Cardoso: E além de um “motivo”, ela tem que ter um prazo.

Enrico Cardoso: Início, meio e fim!

Marcos Silva: hj apresentei essa ideia para um grupo de pessoas, algumas gostaram, e outras tiveram uma opiniao muito negativa

Enrico Cardoso: Negativa?

Enrico Cardoso: Porque?

Marcos Silva: eu disse, gente precisamos definir o projeto da promoção, equalizar as idéias e acreditar nela antes de apresentá-la para o diretor!

Marcos Silva: to errado?

Enrico Cardoso: Não. Tá certíssimo.

Marcos Silva: pois é

Enrico Cardoso: Promoção sem justificativa nem prazo determinado QUEIMA o produto.

Enrico Cardoso: Porque imagine você dar 25% de desconto em um produto,sem motivo, sem razão e sem prazo determinado.

Enrico Cardoso: O que as pessoas vão pensar?

Enrico Cardoso: O que você pensaria como consumidor?

Marcos Silva: estava sendo roubado antes

Enrico Cardoso: Então..

Marcos Silva: estas promocoes dos automoveis foram bem planejadas

Enrico Cardoso: Ainda mais em um público B2B, eles vão chegar às mesmas conclusões.

Enrico Cardoso: SIM.

Marcos Silva: redução de IPI, mas quem pareceu  ladrao ai desta vez foi o governo hehe

Enrico Cardoso: A maioria baseada em um pacote de redução de impostos e incentivo às compras.

Enrico Cardoso: O que vocês podem fazer é uma campanha de incentivo às vendas.

Enrico Cardoso: Premiar vendedores, clientes..

Marcos Silva: nosso produto tem um valor mais alto que os demais

Marcos Silva: porem o resultado é proporcionalemente maior

Enrico Cardoso: Os clientes conseguem enxergar essa diferença?

Marcos Silva: alguns conseguem mais claramente viu

Marcos Silva: outros se fazem de loco pra passar bem

Enrico Cardoso: Então.. aí você precisa comunicar bem com o seu cliente.

Enrico Cardoso: Pra isso, apenas discurso de venda não basta.

Marcos Silva: é verdade

Enrico Cardoso: Você precisa de comparativos, de depoimentos de clientes, de indicação e sempre realizar uma pós-venda proativa em busca de novos clientes e na evangelização dos que já compram.

Enrico Cardoso: E o blog?

Marcos Silva: fizemos dois cases, que geraram mais acessos no nosso site e solicitacoes de proposta

Marcos Silva: eu pedi para o Marketing fazer e deu resultado

Marcos Silva: estamos atualizando, me inspirei no teu… heheh

Enrico Cardoso: Isso aí.

Enrico Cardoso: Não pode parar. Porque lá é uma ferramenta de conteúdo e divulgação que vocês têm.

Enrico Cardoso: Além de usar os cases, depoimentos de clientes pega muito bem.

Enrico Cardoso: E ferramenta de e-mail marketing e newsletters, vocês usam?

Marcos Silva: a gente envia newsletter

Marcos Silva: mas acho elas muito fracas

Enrico Cardoso: Me manda uma aí.

Marcos Silva: já envio

Enrico Cardoso: Maneiro.

Enrico Cardoso: Tem é que começar.

Enrico Cardoso: Blogs, e-mail marketing, acessoria de imprensa, captação de clientes.. tudo isso é trabalho do marketing.

Enrico Cardoso: Como estão no Google?

Marcos Silva: mal

Enrico Cardoso: Eita.

Enrico Cardoso: E quem está cuidando do conteúdo da empresa?

Enrico Cardoso: Vocês precisam dar atenção ao conteúdo. Precisam de alguém que fique por conta de dar conteúdo, fazer web-seminários para captação de clientes, produzir as newsletters.

Marcos Silva: tu sabe como a gente poderia aparecer melhor no google?

Enrico Cardoso: Sobre o Google… você precisa otimizar o seu site com SEO.

Enrico Cardoso: Para que ele seja buscável.

Enrico Cardoso: Se você não é encontrado as pessoas não sabem que você existe.

Marcos Silva: o que é o SEO?

Enrico Cardoso: Search Engine Optimization.

Enrico Cardoso: Otimização de buscas.

Marcos Silva: OKAY

Marcos Silva: isso é uma estratégia ou uma ferramenta?

Enrico Cardoso: Isso são “códigos-fonte” que você incorpora na sua página e que te ajuda a ser mais buscável no google.

Enrico Cardoso: Eu não manjo muito bem disso.

Enrico Cardoso: Do COMO.

Enrico Cardoso: Eu sei o que é e o que o SEO te proporciona. Não sei muito bem ainda como implementá-lo.

Enrico Cardoso: Mas, se você tiver interesse, posso lhe falar de alguém que sabe um pouco.

Marcos Silva: era uma boa

Enrico Cardoso: Me diz uma coisa.. dessas 10 mil visitas de Agosto. Quantas eram de clientes, quantas eram de leads?

Enrico Cardoso: Você tem acesso a isso?

Marcos Silva: nao

Marcos Silva: qual seria a importancia disto?

Enrico Cardoso: Você precisa analisar este dado por dois motivos:

a) Para atacar os leads. Dos clientes que entram no seu site pela primeira vez, quantos se cadastram nas newsletters? Dos que recebem, quantos compram/compraram?

b) Precisa desse dado para saber se estão crescendo ou não. Se não tem nenhum lead, nenhum potencial cliente, não estão vendendo pra gente nova. Então, não crescem.

Enrico Cardoso: Como vocês estão nas mídias sociais?

Marcos Silva: olha nao saberia te dizer

Enrico Cardoso: Vocês têm que ser vistos pelo cliente de vocês como referência em conteúdo sobre engenharia elétrica.

Enrico Cardoso: O site principal de vocês deveria ser o blog, aliado às newsletters + webseminários.

Enrico Cardoso: A sua newsletter tem que informar não somente sobre o software, mas sobre tudo sobre o seu ramo.

Enrico Cardoso: Vocês têm que explorar melhor os meios digitais.

Marcos Silva: com certeza muita coisa precisa ser feita

Enrico Cardoso: Coloque uma coisa na sua cabeça: vocês precisam atuar mais no marketing de conteúdo.

Enrico Cardoso: Abraço.

Conteúdo é o que Interessa!

Qual é a missão de uma empresa? Qual é o motivo que uma empresa EXISTE? Por que empresas grandes têm missões gigantescas e imcompreensíveis? Por que todas elas querem ser reconhecida regional ou nacionalmente como referência de qualidade e xcelência de produtos e serviços? PORQUE?

Uma empresa nasceu pra fazer muito mais do que gerar lucro e satisfação dos sócios e da diretoria. Uma empresa tem uma tarefa muito mais árdua do que apenas gerar lucro entre créditos e débitos e satisfazer seus clientes. Uma empresa precisa nascer envolta em uma cultura para educar e transformar a tribo em que está inserida. Qual é a cultura de sua empresa? O que vocês vão fazer pela tribo em que estão inseridos? Você sabe qual a sua tribo? Você pelo menos sabe qual a sua tribo, qual o seu alvo? Aonde é que a sua empresa quer ATUAR? Além de querer atuar agradando todas as tribos, foque em apenas uma tribo. Apenas empresas até 50 funcionários sem área de compras; apenas empresas com faturamento de 15 milhões por ano e mais de 200 funcionários; apenas profissionais liberais sem escritório; apenas microempresários com até dois funcionários, etc. FOCO É DIZER NÃO. Diga não para quem te disse pra vender todos os produtos. Diga não praquele seu amigo que falou pra você atender a todas as empresas. DIGA NÃO pra quem disser que a missão da sua empresa é GERAR LUCRO. Foco é dizer não a todas as opções e seguir UM CAMINHO DE CADA VEZ.

Qual a missão de uma empresa? Criar uma cultura dentro da tribo que está inserida e alimentar todos os integrantes dessa tribo com CONTEÚDO! Ah?!? Isso mesmo, CRIAR CONTEÚDO DENTRO DA CULTURA DA SUA EMPRESA. Conteúdo é o que interessa. A empresa precisa educar os seus clientes. EDUCAR, ensinar, ajudar a decidir ou se justificar em relação a um determinado tema. Vídeos, eventos, palestras, newsleters, podcasting, etc. O site da empresa deve virar uma mídia interativa de conteúdo sobre o negócio da empresa. O que impede que sites de empresas se transformem em sites como UOL, Terra e Globo.com, dando notícias, construindo conteúdo e divulgando para educar a sua tribo? O objetivo de um site é fazer com que a empresa seja vista, conhecida, visitada e estejha disponível. Mas, o que faz com que uma pessoa, após entrar no site da empresa continue nele e volte a visitá-lo?? O CONTEÚDO…

Por isso, conteúdo vem na frente junto com a cultura da empresa, e toda aquela missão da empresa como vender, gerar lucro aos acionistas, ser referência e bla, bla, bla, vêm depois de EDUCAR e AJUDAR os clientes. E para educar, precisamos de conteúdo, de relevância e de uma cultura alinhada à forma que queremos ser reconhecidos pelos outros. Portanto, mate o seu site antiquado, com informações e conteúdos irrelevantes e mergulhe no mundo da COMUNICAÇÃO 2.0!

conteudo