Os Mandamentos do Marketing Digital.

1. Focos de Resistência.

Sim, ainda existem anunciantes resistentes à idéia de anunciar na internet. Isto se deve principalmente ao desconhecimento do meio e a uma idéia distorcida do que é a publicidade na web. Como dizem, “evangelizar” o mercado, informar o anunciante sobre as vantagens e desvantagens da internet e fazê-lo entender de suas potencialidades.

2. Integração Com Outros Meios.

As agências precisam lembrar que a internet deve ser incorporada ao plano de marketing no momento zero. Planos de mídia que não levem em conta a integração completa entre as diferentes mídias estão fadados a terem problemas.

3. Profissionais Devem se Adaptar ao Meio.

4. Marketing de Busca.

Qualquer estratégia de mídia que se preze precisa, necessariamente, levar em conta o marketing de busca. Reservar uma parte considerável da verba para estratégias de search engine marketing e search optimization, ainda mais quando se trata de anunciantes de pequeno porte, é imprescindível.  E é evidente que o uso deste tipo de publicidade vem crescendo para todos os setores – portanto,

5. Conteúdo é o Negócio.

O sucesso estrondoso de sites como o YouTube está deixando claro que a produção de conteúdo é a grande vedete da internet. Será o conteúdo o referencial dos usuários na hora de escolherem por quais sites vão navegar. Portanto, associar a marca ou o produto a um tipo de conteúdo específico é primordial. O que significa algo muito claro: é preciso conhecer profundamente o público para qual se destina a campanha. Nesta nova fase, uma mensagem que pouco tenha a ver com o meio no qual está circulando significa apenas desperdício de recursos.

6. Medir, medir, medir.

Usar e abusar dos recursos disponíveis para mensuração de performance das campanhas. Analisar os dados gerados por estas ferramentas é como desvendar o mapa da mina: descobrir o comportamento dos usuários, checar a eficácia de cada peça e poder corrigir os rumos de uma campanha enquanto ela acontece são requisitos fundamentais para um bom plano de mídia online.

7. Inovação.

Apostar sempre nas velhas fórmulas de sucesso não funciona na internet. É preciso lembrar que o diferencial competitivo é a disposição para ousar, inovar, diferenciar-se da massa de informações que pululam perante o usuário. Além da adequação da mensagem ao público, apostar em formatos novos, usar a criatividade de maneira assertiva e não dormir nos louros são características mais do que bem vindas em qualquer plano de mídia que se preze. Lembre-se que até os games vêm sendo considerados espaços importantes para divulgação de um produto – portanto, a estratégia deve contemplar uma boa dose de ousadia.

8. Novas Mídias.

Dependendo do que for planejado, limitar-se aos veículos de comunicação mais tradicionais pode significar um alcance abaixo do desejado para sua campanha. Portanto, fique atento às oportunidades que blogs, por exemplo, trazem para seu produto. Valorizar este tipo de mídia mais dirigida é obrigatório. Lembre-se sempre que  mídia colaborativa é a senha para a nova fase da internet. E as possibilidades destas ações gerarem algum marketing viral são grandes.

9. Behavioral Targeting.

Os mídias precisam estar atentos: as tecnologias que permitem definir com maiores detalhes os perfis de comportamento dos usuários pela análise de suas buscas,informações de registro, respostas a anúncios e participação em blogs tornará a análise comportamental um importante complemento para o targeting conceitual e localizado. E este conhecimento será importante para que os planos de mídia possam atingir o usuário correto, na hora certa e no lugar mais adequado.

Anúncios