O Empreendedorismo Demora Quanto Tempo Pra Fazer Efeito?

O limiar entre persistência e teimosia é bem pequeno. Por isso, quanto tempo esperar até o empreendedorismo dar certo – ou não?

Na sexta-feira passada, pela manhã enquanto fazia o trajeto de metrô para o trabalho, me deparei com uma pergunta reflexão no Twitter do meu amigo Gabriel Galvão sobre empreendedorismo que me provocou essa reflexão, que se transforma agora em artigo.

A pergunta? Bem, a pergunta era sobre o tempo de maturação do empreendedorismo.

Empreendedorismo - Qual é o Tempo de Maturação - ThinkOutside | Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

Quanto tempo demora pro empreendedorismo dar certo?

A pergunta que não quer calar é:

Quanto tempo um empreendedor deve suportar até seu empreendimento ter sucesso? 1 ano, 2 anos, 5 anos?

Essa pergunta é muito difícil de responder na minha opinião. Acredito que não exista uma resposta padrão sobre essa questão do empreendedorismo.

A primeira regra do empreendedorismo é que empreendedorismo não tem regra. O que funciona pro seu concorrente, o que funciona para um mercado pode não funcionar muito no outro, ou até levar ao fracasso.

Da mesma maneira que, em empreendedorismo o limiar da persistência e teimosia é minúsculo; o limiar do sucesso ou fracasso também é bem pequeno.

Tendo isso em mente, vou falar um pouco do que eu acho que seja a resposta para essa pergunta, que acima de tudo é uma reflexão.

A resposta para essa pergunta de empreendedorismo precisa levar em conta três fatores:

#1. Cada caso de empreendedorismo é um caso.

Se você tem uma startup de internet, o tempo de maturação do seu negócio é um. Se você tem uma empresa de prestação de serviço, esse tempo é outro, se você tem uma empresa de produtos, é outro, e assim por diante.

SIM! O segmento, o mercado, o ecossistema em que você e seu empreendimento estão inseridos significa muito. Na internet, por exemplo, seis meses pode ser “longo prazo”, enquanto isso em serviços pode ser “curto prazo”.

O timing é totalmente diferente, para um empreendedor, de acordo com o meio.

Então, a primeira coisa a fazer é guiar-se não pela persistência/teimosia, mas pelo espírito “comece pequeno, pense grande, cresça rápido”.

O melhor indicador para a sua empresa deve ser o crescimento. Até mais do que o ROI. Se você está crescendo, acredita no que faz e está disposto a fracassar por isso, siga em frente.

Em empreendedorismo, crescer vem primeiro do que ROI. E não estamos falando de crescimento financeiro. Estou falando de crescimento do negócio.

Qual deve ser a sua métrica?

Número de novas pessoas atendidas pelo que você faz;

Número de novas pessoas falando sobre o que você faz;

Seus vizinhos – em muitos casos literalmente – precisam ser entusiastas do que você faz;

Número de feedbacks positivos;

Número de indicações;

Número de pessoas que apostam na sua ideia.

Esses são alguns dos índices de que o empreendedor precisa para medir a sua ideia.

O dinheiro não vai aparecer da noite pro dia. Existe um caminho para o dinheiro. E esse caminho é o crescimento de que falei acima. Você precisa estar na boca das pessoas. Só assim a coisa vai começar a acontecer. Se você não está crescendo, pode ser bom parar.

#2. O empreendedor conta muito. Por isso chama-se empreendedorismo.

O empreendedorismo não é nada sem empreendedores.

Então, o pessoal de cada um ajuda muito no tempo de maturação de um negócio.

Uma coisa que você precisa fazer é melhorar e aumentar o seu potencial, sua filosofia e seu comportamento sobre empreendedorismo.

O que fazer?

Aumentar a bagagem cultural fomenta o empreendedorismo.

Ampliar os horizontes fomenta o empreendedorismo.

Despertar o espírito da liderança fomenta o empreendedorismo.

Bases familiares fomentam o empreendedorismo.

Ao contrário do que pensa, dinheiro não fomenta o empreendedorismo.

Com isso, o empreendedor torna-se uma pessoa mais capaz de conduzir o negócio rumo ao sucesso e, faz com que as possibilidade das coisas darem certo sejam maiores.

Não existe fórmula mágica de empreendedorismo. Por isso, a capacidade de aprender sobre aquilo que envolver cultural e economicamente o seu negócio vai fazer muita diferença na hora do negócio dar certo ou não.

#3. Não caminhe sozinho no mundo do empreendedorismo.

Parece besteira isso. Por que todo empreendedor acredita que é o super-homem no início de tudo.

Sim, eu posso aguentar a barra!

É mais ou menos assim que todos pensam. Só que a verdade é bem por outro caminho.

Todo empreendedor precisa de suporte. Todo empreendedor precisa de alguém para ajudá-lo a ver as coisas por outro ângulo, alguém para opinar, alguém para ajudar nas tomadas de decisões.

Esse alguém pode ser um sócio, um parente, um amigo, o cônjuge ou até mesmo um coaching.

Acredite!

A barra é pesada. Não há noites de sono, dias de lazer e, mesmo de folga as preocupações financeiras, operacionais e tudo que envolve o negócio vai te martelar para onde você for.

Por isso, ter alguém que veja as coisas de fora, alguém com opinião diferente, alguém que tenha experiência, de vida ou de negócios vai te ajudar muito.

Não seja egocêntrico a ponto de se achar o melhor de todos. Não seja prepotente a ponto de achar que sabe tudo. Seja humilde, cale a boca daquele rei que você tem na barriga e ESCUTE OS OUTROS.

Acredite em mim. Estou falando por experiência própria.

Empreendedorismo é assim. Todo empreendedor vai se dar mal uma hora.

Tô louco?

Não… eu sei bem o que to falando. Por isso digo que você precisa ter alguém por trás. Isso minimiza as chances de burrada e, aumenta as cabeças pensantes por trás das ideias.

A verdade é que se desse pra prever com exatidão e antecedência se um negócio ia dar certo ou errado, empresas não fechavam todos os dias.

Mas, seguir esses três passos simples vai ajudar muito a você diminuir e muito as chances de fracasso. Vai por mim…

Se você quiser saber mais sobre empreendedorismo

Leia o manifesto do empreendedorismo no CINEBusiness e visite o PontoMarketing. É certeza de conteúdo relevante para fomentar o empreendedorismo mundo afora.

Os Princípios do Pensamento Criativo.

1. Atitude. Atitude é um componente chave de todo empreendimento vitorioso. Como disse Henry Ford: Se você acredita que pode, você está certo. Se acredita que não pode, você  também está certo. Atitudes positivas são fortes catalisadoras de energia criativa e agregadoras de habilidades e talentos. Ver-se como uma pessoa criativa é um passo importante para liberar sua imaginação e aproveitar plenamente suas habilidades e conhecimentos.

2. Desafie as suposições. Conscientemente ou inconscientemente, nós temos crenças que nos impedem de usar a imaginação e resolver os problemas criativamente. Também somos afetados pelas crenças de outras pessoas que nos pressionam para sempre seguir os caminhos convencionais e não fugir da mesmice. Na solução um problema, é importante identificar e listar as suposições, convenções e crenças que afetam a sua compreensão, análise e solução. Examine-as criticamente e se livre das que não são verdadeiras ou que se tornaram obsoletas.

3. Quebre as regras. Certamente não podemos quebrar todas as regras, mas na solução de problemas e na inovação é importante questionar as regras, especialmente quando elas aprisionam nossa mente a velhos hábitos e modos de pensar. Muitas vezes, para seguir adiante é necessário abandonar a estrada principal e tentar caminhos nunca percorridos.

4. Não tenha medo de errar. Quem não se arrisca, não petisca – nos ensina o velho ditado. As grandes invenções raramente resultam de um golpe da sorte, mas usualmente de uma sucessão de tentativas frustradas até se chegar ao resultado desejado. O antiferrugem WD 40 tem este nome por que a solução somente foi atingida na quadragésima tentativa. Ela foi precedida de 39 tentativas sem resultados satisfatórios.

5. Há sempre mais de uma solução certa. Na escola somos ensinados que há uma única solução certa. Na realidade, com muita frequência há mais do que uma e, muitas vezes, a primeira resposta que nos ocorre é a menos criativa. Esforce-se para procurar outras soluções de forma que você tenha várias opções para comparar e escolher a melhor.

6. Suspenda o julgamento. O julgamento prematuro é o caminho certo para bloquear a criatividade. É essencial separar a fase de geração de ideias da fase de julgamento, pois não se pode dirigir com um pé no acelerador e outro no freio. No trabalho em equipe, deve-se ficar atento para os comportamentos que desencorajam as contribuições dos participantes, bloqueiam suas mentes e minam o espírito de equipe.

7. Persistência. Experimentar e ter alguns fracassos faz parte do processo de geração de ideias e inovação. O segredo do sucesso está na constância de propósito, em manter-se firme apesar dos percalços no caminho. É oportuno lembrar as palavras do historiador grego Herodoto que viveu no século 5 AC:Alguns desistem de seus projetos quando estão quase atingindo seus objetivos; enquanto outros, pelo contrário, obtêm a vitória empregando, no último momento, esforços mais vigorosos do que antes.

Crescendo Profissionalmente…

Ânimo: Passe seu tempo livre com pessoas que levantem seu ânimo. Dedicar tempo a gente positiva minimizará o efeito das criticas negativas. Se você anda com gente mal humorada, crítica e ranzinza as chances de você se tornar igualmente crítica são enormes. Podemos tirar uma lição da natureza. Quando um falcão é atacado por corvos, ele não contra-ataca. Em vez disso, ele voa cada vez mais alto e em círculos até que seus inimigos o deixem em paz.

Persistência: Algumas flores, como a rosa, precisam ser esmagadas para que sua fragrância seja liberada. Algumas frutas precisam ser espremidas para liberarem seu sumo. Alguns metais, como o ouro, precisam ser colocados na fornalha para atingir valor e pureza. Todos nós precisamos ter alguns fracassos para chegarmos ao sucesso.

Amizades: O sentimento de solidão não apenas afeta a atitude, os relacionamentos e a aparência de uma pessoa, como também altera a sua saúde física. Um relatório de um instituto de saúde afirmou: “o fator de risco mais previsível de doença cardíaca é a solidão”. Então, cultive amizades.

Confiança: O circo estava na cidade e um repórter de televisão entrevistava um dos artistas, um jovem homem flexível que trabalhava no trapézio. Ele era um “voador”, explicou aquele que voava graciosamente pelo ar, muito acima do chão, para os fortes braços de um “apanhador”. “Eu sou aquele para quem se volta o olhar do público”, afirmou o jovem atleta, mas não sou a estrela. “A verdadeira estrela é o apanhador, que está suspenso pelos joelhos e me apanha, impedindo-me de cair. Eu apenas vôo pelo ar e confio no apanhador”.

Lições do Esporte nos Negócios.

Lição #1: “Para que o time consiga competir, primeiro é preciso cooperar”. Podemos entender cooperar de várias formas. Cooperar é ajudar, mas ajudar de que forma. Eu entendo que a melhor forma de ajudar o meu time é melhorando o meu desenpenho. Se eu erro constantemente, toda a equipe é prejudicada. Se estou abaixo do meu desempenho, além de enfraquecer a minha posição, ainda enfraqueço as outras posições, porque o resto do  time terá suprir a minha deficiência. A única maneira de aumentar o desempenho é treinar, treinar e treinar. O atleta treina milhares de vezes até estar preparado para a hora do show. No mundo dos negócios temos que dar show todos os dias. Para fazermos isso não é diferente. Temos que estudar, estudar, estudar.

Lição #2: “O que foi treinado é para ser aplicado durante o jogo”. Isso é óbvio. Mas quem faz o óbvio?

Lição #3: “Não ser complacente”. O treinador não deixou passar nenhum erro de ninguém. Um garoto por 5 vezes errou passe. Por 5 vezes o treinador chamou sua atenção. Mostrou a ele o quanto aquela falha prejudica o time. Quando você é complacente você está favorecendo os  maus e prejudicando os bons. Mostre o que a pessoa está fazendo de errado e diga também o que você quer que seja feito.

Lição #4: “Feedback”. No esporte você recebe o feedback instantâneamente, na lata. Me responda, porque uma pessoa em uma pelada, muitas vezes pagando para jogar,  sua a camisa, corre, grita, briga e, na hora de trabalhar, mesmo sendo pago, é mole, não fala, não sua a camisa, não se esforçam com a mesma intensidade? No livro “O jogo do trabalho” o autor responde sobre esta questão da seguinte forma: “Isso acontece porque no esporte elas têm feedback constante sobre seu desempenho – como conhecem o placar, seu esforço para obter o melhor resultado surge de modo natural. Na vida profissional, muitas vezes o feedback não é confiável, não é contínuo e, em alguns casos, nem mesmo fornecido. E mais: geralmente, a pessoa não sabe as regras do jogo e o que deve fazer para ser bem-sucedida”.

Lição #5: “Não dê desculpas”. O treinador disse: “Errou, não fica pedindo desculpas, se lamentando. Errou, corre atrás do prejuízo porque já prejudicou a equipe”. Brasileiro é o rei das desculpas. E esse é um hábito difícil de se livrar. Mas comece a reparar em você e também nas pessoas ao seu redor. Todos sempre tem uma desculpa. PARE DE DAR DESCULPAS. Reconheça o que você fez de errado. Toda vez que você der uma desculpa, está aceitando um resultado medíocre.

Fonte, Blog O Engenheiro.

Se a Porta não se Abrir, Arrombe-a!

Se surgir um muro na sua frente, se você achar que as possibilidades e a matemática está remando contra o seu barco e te puxando de volta pra areia; se você achar que esse muro tá aumentando, CHUTE TUDO! Arrebenta essa porta e não perdoe os obstáculos. Estude, leia, crie, invente, opine e ajude. MOSTRE-SE para o mundo que certamente ele se MOSTRARÁ A VOCÊ!

Campeões não Desistem.

“Hay que endurecer pero sin perder la ternura jamás”

Che.


Vontade de desistir todos possuem. Há uma hora, que por mais otimistas que somos, a PENÚRIA embaça nossas vistas e não vemos mais luz ao fim do túnel!! Quem nunca teve dúvidas do caminho a seguir e nunca ficou perdido nas suas escolhas que atire a primeira pedra.


A caminhada é longa e os desafios são incontáveis. Quem quer fazer a diferença sofre, pois a batalha é INTERMINÁVEL. Muitas vezes, nos vemos tão longe de atingir nossa tão sonhada realização, que bate o DESÂNIMO e a certeza do FRACASSO.
 

Qual a diferença dos VERDADEIROS CAMPEÔES pros Pangarés da vida afora?? Campeões não desistem?? Batalham sempre e têm certeza de que o caminho é o correto?? MENTIRAAA!!! Campeões CHORAM, LAMENTAM, FICAM DESANIMADOS e PERDEM AS ESPERANÇAS, quando a escuridão chegam aos seus olhos.


Se tem uma coisa que é sinônimo de superação é o esporte. Lá, o muito NUNCA É O BASTANTE!! Sempre o seu adversário está querendo treinar mais do que você, quebrar o seu recorde, tomar os seus torcedores. Mesmo que não apareça dessa forma, é isso que está passando PELA CABEÇA DELES. E por que nos negócios seria diferente?? Os seus concorrentes querem o que?? A perfeita HARMONIA entre você e eles? Eu vendo pra A e você pra B? Ou eles querem tomar seus clientes, roubar suas idéias e tomar os seus preços? É ISSO!!

Tem uma hora, que tanto nos ESPORTES, quanto nos NEGÓCIOS, queremos ir embora para casa. Esquecer de tudo e conversar APENAS com o nosso EU. O define o VERDADEIRO CAMPEÃO, não é o que passa pela cabeça dele, mas SIM as ATITUDES que ele toma. Se o dia está difícil, você pode ir embora para casa. Ou então, você pode querer ir embora pra casa, mas permanecer e LUTAR com todas as suas forças para mudar o cenário atual. 

César Cielo foi um dos maiores exemplos de vitória para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim. Garoto de 21 anos, apenas, saiu do Brasil em busca de dois objetivos bem definidos: estudar e nadar. Assim, chegou à sua meta nos esportes e conquistou o ouro nos 50 m livre, a prova mais rápida da natação, e o bronze nos 100 m livre. Por sorte – e competência, é claro -, voltou vitorioso e seguirá em busca de seu limite dentro d’água. Mas, se o resultado tivesse sido outro, o paulista não tem tanta certeza de que seu futuro correria da mesma forma. “Não sei como estaria a minha carreira hoje se não tivesse chegado a uma medalha, devido à dedicação que eu tive para as Olimpíadas”, admitiu Cielo. “Eu estava com um pouco de medo de ter o pique de fazer tudo para Pequim e não dar certo. É duro, você põe muita coisa em jogo para uma pessoa de 21 anos.” Os brasileiros podem ficar tranqüilos. O sempre simpático nadador ainda não chegou ao seu limite e projeta novos feitos para a sua carreira, a começar por 2009, com o Mundial de Roma. Uma das metas é vencer os dois centésimos que faltaram para bater o recorde mundial (21s28, de Eamon Sullivan). Fonte: UOL Esporte.

Cielo é referência de campeão pra mim. Não tem MEDO de expressar oscielo3 sentimentos, nem ESCONDER aquilo que passou em sua cabeça na hora em que o DESÂNIMO APARECEU. Porém, ele foi mais FORTE e venceu seus desafios. E depois da primeira vitória, AS BARREIRAS e os LIMITES DESAPARECEM.

Nós podemos escolher ser apenas mais um no meio da multidão e deixar com que os outros nos influenciem NEGATIVAMENTE. MAS, podemos escolher ser DIFERENTES, ir um pouco mais ALÉM, e fazer um POUCO MAIS DO QUE ESPERADO!! 

Ligar para cinco clientes a mais, conversar cinco minutos a mais, perguntar cinco perguntas a mais, faz com que, no final das contas, você ganhe CINCO POSIÇÕES A MAIS!! Escolha sempre o caminho mais difícil. No final das contas, ele sempre é mais RECOMPENSADOR.