Você e a Mídia Social.

A mídia social inicia o ano de 2010 mais do que presente na vida das pessoas. No lazer, nos negócios, no networking. Aumentando a forma de compartilhar conhecimento, aumentando as possibilidades de comunicação, disseminando informação e, obviamente, se transformando em um vício para as pessoas.

Sendo assim, se você está disposto a evoluir, tem que aceitar a presença disso na sua vida. Sem fugas, sem medos, sem preconceitos. Se você quer um exemplo das mil-e-uma utilidades das mídias sociais, pelo Twitter se pode, além de conseguir leitores e seguidores (o que já é bem proveitoso), conseguir contatos de trabalho – vagas são anunciadas a todo momento por lá  e, inúmeras empresas de RH tem um Twitter para, além de divulgas oportunidades, saber o que os potenciais candidatos aos empregos pensam e dizem. Além disso, por lá é possível estar próximo a um grande líder de uma corporação, do presidente da empresa em que você sonha em trabalhar e, essa poderia ser a forma mais fácil de se aproximar. Até apartamento já foi vendido pelo Twitter.

E então, alguma dúvida de que as mídias sociais vieram pra ficar?

Se você está atrasado, veja abaixo algumas maneiras de levar a sério a mídia social:

1. Pare de contar fãs, seguidores, e assinantes do seu blog como cabeças de gado. Pense, ao invés disso, sobre o que você está esperando conseguir através deles e com a comunidade que realmente se preocupa com o que você está fazendo;

2. Aprenda a medir as coisas, e parar de dar desculpas das coisas que você não está fazendo. Saiba qual o  resultado a sua presença está lhe proporcionando. Saiba medir e, parar de dar desculpas pelas coisas que não está fazendo. Arregace as mangas e comece o trabalho;

3. Saiba o que os estudos de caso pode e não podem fazer por você. Pare de dizer que não há bastante deles e procure casos semelhantes com o seu. Vá ao Google e procure como aumentar os leitores do seu blog; como atigir pessoas de um outro estado; procure como o Orkut, o YouTub ou o Facebook aumentou o faturamento de uma empresa concorrente. Busque inspiração e solução e saiba o que fazer e o que não fazer;

4. Entenda a diferença entre fazer um case de negócios de mídia social e seguir moda. Se você não sabe como explicar quais os impactos da social mídia fora da empresa faça um esforço para aprender ou para descobrir. Caso contrário, nada fará sentido;

5. A mídia social não faz milagres. Você precisa produzir, criar, recriar e repassar conteúdo. Reputação é a única coisa que vai lhe ajudar a abrir algumas portas. Nada de preces ou milagres;

6. Utilize a mídia social metodicamente e com o mesmo cuidado que você faria com qualquer outro negócio de investimento que você faz. Analise todos os riscos, meça as oportunidades e seja pragmático o suficiente para saber onde investir;

7. Saia para o jogo, antes que ele comece e você não perceba. Faça apenas aquilo que condiz com 0 seu negócio. Seja coerente, fale apenas o que você faz, e faça apenas o que fala;

8. Pensar a longo prazo, e se comprometer com ele. Você não terá milhares de amigos de uma hora pra outra. Muito menos, milhares de seguidores. Trabalhe no agora, pensando no futuro. Pense no longo prazo sempre. Aja hoje, com o foco no que aquilo pode desencadear daqui a um ano. Futuro sempre;

9. Concentre-se no que você é bom. Conheça o seu core business e busque potencializá-lo através da social media. Não saia atirando pra todos os lados.

10. Reconheça que erros não devem lhe paralisar. Reconheça que existem maneiras de se recuperar. Ter um plano para se levantar é a chave, ao invés de tentar evitar o fracasso em todos os custos (incluindo estagnação).

Por Que as Empresas Fogem da Mídia Social?

1. Os funcionários perdem tempo com os meios de comunicação social.

Muitas das grandes corporações bloqueiam os seus empregados de acessar a Internet completamente. Outros tentam bloquear os funcionários de acessar e-mail pessoal ou redes sociais como Facebook durante o horário de trabalho.

Em maio de 2009, de acordo com aeMarketer, haviam 29 milhões de smartphones nos Estados Unidos. Isso é um monte de acesso à Internet à disposição dos trabalhadores em todos os lugares – e os empregadores não podem nos impedir de acessar a internet.

O valor aos trabalhadores de acesso à Internet que – em termos de pesquisa, comunicação e velocidade – é muito maior do que a ameaça de perda de produtividade. As empresas têm o direito de fazer políticas e regras sobre o uso pessoal da internet, mas bloqueá-lo durante o trabalho é apenas estúpido.

2. “E se as pessoas dizem mal, quer dizer, coisas desagradáveis sobre a nossa marca?”

Bem, pode haver coisas que você precisa mudar em sua marca, e nesse caso, você deve agradecer-lhes por que você saiba o que são. Então você deve fazer alterações.

Se você construiu uma comunidade online que inclui pessoas que não odeiam você, a comunidade irá entrar em sua defesa e eles vão lidar com o problema para você.

3. Nós vamos perder o controle da marca.

Ouçam bem: cada pessoa com um computador e até um nível de habilidade minúsculo tem as ferramentas para fazer a sua opinião sobre sua marca ouvido por outras pessoas. Eles já estão falando de você.

Seu trabalhadores estão falando de você em grupos fechados. Seus clientes estão enviando, Tweeting e Facebooking, seus amigos sobre suas experiências com sua marca. Você não tem controle. Você pode também participar da conversa. Pelo menos dessa forma você pode influenciar o que está sendo dito.

4. Mídia Social exige um orçamento real! Não é realmente barato, ou gratuito.

Embora muitas ferramentas de mídia social são gratuitos, saber como usá-las necessita experiência e perspectiva.

Os amigos de faculdade do chefe não podem integrar meios de comunicação social em geral de marketing da empresa. Isso requer experiência e perspectiva. Tendo uma grande rede social on-line e uma reputação estelar também ajuda.

5. Eles estão com medo de serem processados.

Oh, pula essa. Próximo!

6. Eles têm medo de perderem os segredos empresariais ou que as informações sobre as redes sociais irá afetar o preço das ações.

Se você ainda não tem uma política de comunicação social, você precisa criar uma.

Se você não confia em seus funcionários para conversar com clientes, ou para representar a marca, você precisa de olhar para:

1) as suas práticas de contratação;

2) suas práticas de formação.