Qual a diferença entre coaching e consultoria?

A venda de serviços é muito difícil de ser mensurada pelo cliente. E quando ele nem sabe diferenciar os tipos de serviços oferecidos no mercado, a coisa fica mais difícil ainda.

Diferença entre Coaching e Consultoria  - ThinkOutside | Marketing & Vendas, Empreendedorismo e InovaçãoDia desses, eu fui surpreendido por um e-mail me perguntando a diferença entre coaching e consultoria.

Sei que na prática existe, ou pelo menos deveria existir muita diferença entre coaching e consultoria. Mas, os clientes desses serviços realmente conseguem enxergar essa diferença?

Ou será que é tudo uma grande balela e enganação de empresas de serviços?

Afinal de contas, coaching ou consultoria?

Todo mundo tá cansado de saber que, a venda de serviços não é mensurável.

Mesmo que a sua empresa apresente o melhor case do mundo – seja de coaching ou consultoria – na melhor empresa do mundo, no final da reunião o cliente ainda terá a mesma dúvida.

O que sua empresa pode fazer por mim?

Sim! É isso que você, fazendo coaching ou consultoria vai ter que responder pra ele. Sim. É isso que interessa.

O resto é balela.

Então, se o cliente não consegue medir o serviço, como ele vai saber se a sua consultoria ou se o serviço de coaching do concorrente serão melhor para ele?

A princípio eu achei que não tinha como saber.

Diferença entre Coaching e Consultoria  - ThinkOutside | Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

As etapas de um processo de coaching.

Na verdade, coaching ou consultoria, é tudo uma questão de PERCEPÇÃO.

Infelizmente uma coisa é certa. Não importa se você diz que faz coaching ou consultoria. Importa o que o cliente enxerga e percebe do que você faz.

Se ele acha que é coaching, mesmo que você vendeu serviço de consultoria, pra ele é coaching.

Se ele acha que é consultoria, bem… então não é coaching.

Isso se o cliente tiver a percepção de alguma coisa. Isso se ele realmente já tiver ouvido falar em coaching e não achar que tudo é prestação de serviços do mesmo jeito.

Aí, cabe a sua empresa, mostrar a diferença.

Eu acredito que a diferença entre coaching e consultoria é filosófica e estrutural.

Filosófica por que tem tudo a ver com a filosofia de trabalho da empresa de coaching e do coach.

Estrutural por que se o cliente não sabe a diferença entre consultoria e coaching esse deve ser o primeiro passo na hora da venda.

Vender gato por lebre não funciona. Vender coaching como consultoria não vai fazer você conseguir renovar o contrato no final do ano.

A diferença básica entre coaching e consultoria está no resultado.

Os especialistas em coaching e consultoria que me perdoem. Mas se a diferença não é o resultado a culpa é deles.

Sim! Para o resultado de um coaching ser diferente do de uma consultoria,obviamente o processo todo é diferente.

Então não venha me dizer que o processo da consultoria é que é totalmente diferente do de coaching, porque o que importa é o resultado final. Se o resultado for o mesmo, o serviço é o mesmo, mas com nome diferente.

Coaching desenvolve pessoas para fazer por si mesmo.

Sim. Coaching desenvolve para que você faça. Se você quer pronto, coaching não é o serviço de que você precisa.

O coaching vai fazer com que você busque desenvolver e aprimorar o seu comportamento para, por si só realizar as mudanças.

Sim, o coaching é muito mais voltado para desenvolver e fazer com que a própria pessoa pense na solução e busque caminhos para que ela aconteça.

Algo como ensinar a pescar, ao invés de dar o peixe.

O resultado – e não o processo – do coaching é formar indivíduos – e não empresas, soluções e etc. – capazes de pensar e buscar soluções para o desenvolvimento.

Essas soluções são desenvolvidas através de competências complementares que são trabalhados nos profissionais de forma com que ele consigam enxergar problemas e buscar soluções.

Como eu disse, um trabalho de coaching ensina as pessoas a pensarem e buscarem soluções sozinha.

O coaching não vai te mostrar o que tá errado e sugerir a solução e a implementação. O coaching vai mostrar e auxiliar a busca pela solução e fazer com que pessoas cheguem a solução de maneira independente de apontamentos de processos inefetivos.

Consultoria é o serviço que soluciona determinado problema.

É mais ou menos isso.

A consultoria vai te dar o peixe. Mas, muitas vezes, você nem vai saber como ela fez isso. A consultoria não vai te ajudar a pensar na solução, nem no que está errado.

Ela vai dizer o que não funciona, através de um estudo elaborado, e trazer para a sua empresa o que ela precisa para que o problema seja resolvido.

Obviamente que, a consultoria não vai fazer com que você consiga resolver o problema sozinho depois. Nem pensar no problema para buscar a solução.

Consultoria é aquela coisa. Apareceu o problema. Contratou a consultoria pra resolver, melhorar ou aprimorar. A consultoria identificou os pontos críticos, elaborou o plano de ação, resolveu o problema, gerenciou tudo e acompanha os resultados.

Ok. Mas e se a consultoria for embora e der problema de novo?

Obviamente que coaching não pode te ensinar a resolver todos os problemas do mundo. Uma hora ou outra, o que você precisa mesmo é de uma consultoria.

Sim. Não adianta querer fazer um coaching 360º e saber de tudo para nunca precisar de consultoria e etc. Isso será praticamente impossível.

Nem sempre será possível identificar pontos críticos e propor soluções, sozinho. Muitas vezes será preciso o olhar de alguém de fora, com mais experiência e expertise no assunto para visualizar uma coisa que você ainda não viu.

Afinal de contas, é pra isso que existem coaching e consultoria. Caso contrário um já teria extinguido o outro há muito tempo.

Diferença entre Coaching e Consultoria  - ThinkOutside | Marketing & Vendas, Empreendedorismo e Inovação

Etapas do processo de consultoria empresarial.

Concluindo…

O que as empresas precisam é de um processo que misture coaching e consultoria na hora de identificar problemas e propor soluções para que as empresas entendam a importância na implementação de processos para resolver os problemas.

A consultoria precisa ser um misto de coaching. Precisa ajudar e influenciar empresas a pensarem soluções e refletirem o seu desempenho.

Esse já o primeiro grande passo para a evolução. O resto acaba sendo uma união de detalhes. Detalhes que, claro, fazem toda a diferença. Mas, sem o primeiro passo, muitas vezes nem são observados.

O Verdadeiro Segredo da Inovação.

A cobrança para a inovação dentro de micro, pequenas e grandes empresas têm sufocado, muitas vezes o que realmente importa.

Líderes e executivos tentam, a todo custo criar uma cultura de inovação dentro de uma empresa que, muitas vezes esquecem do básico, como entregar o que promete dentro do prazo. Isso, foi uma das grandes coisas que aconteceram nesse final de ano. Inúmeras empresas de e-commerce de sucesso, reconhecidas por sua inovação, por buscarem sempre novos processos, novas formas de distribuição acabaram esquecendo do principal e do primordial para toda empresa existir, o CLIENTE. Com isso, todo esse processo de inovação e bla, bla, bla, acabaram interferindo diretamente no feijão com arroz da empresa e, eu pude ver inúmeros protestos contra essas empresas que INVESTEM com tanta força na INOVAÇÃO que esquecem do resto.

A inovação tem que ser um recurso a mais dentro de uma empresa. Uma empresa não pode deixar nenhum detalhe de fora, apenas por que está investindo em inovação. Como esquecer dos clientes, esquecer de reabastecer os estoques, esquecer de liderar, esquecer da cultura da empresa, esquecer de quem realmente é em prol apenas de uma coisa chamada inovação?

A verdade é que, as pessoas têm ficado tão obcecadas com essa palavra, que muitas vezes esquecem o seu significado e, concentram forças demais para fazer o extraordinário e esquecem do básico.

E o básico, quando bem feito é o que faz a diferença. Inovação não é apenas criar um produto dos sonhos. Muitas vezes, é muito mais inovador entregar um produto antes do prazo, com uma carta de agradecimento da empresa, junto com selos para o caso de devoluções, ou problemas técnicos. É muito mais inovador entregar antes do prazo e facilitar a devolução, em caso de desistência ou problemas, do que investir alguns milhares de reais em um processo e, atrasar o produto de uma compra pra depois do natal.

Imagine comprar um produto antes do natal pra presentear uma pessoa e ele chegar apenas em janeiro do ano seguinte?

Fatos como este acontecem porque as prioridades estão invertidas. Por trás de todo programa de inovação, por trás de todo programa de contratação, por trás de toda campanha de vendas, por trás de toda campanha de marketing, por trás de toda campanha de lançamento deve estar apenas uma pessoa, o CLIENTE.

Quando as coisas se invertem, quando o cliente não está dentro do centro das atenções, quando as bolas se invertem e as pessoas começam a achar que é a inovação que vai levar aos clientes e não o contrário, tá tudo errado.

O que acontece com as empresas quando o foco de clientes muda para o mistério da inovação é que elas começam a perder clientes, perder vendas, entregar atrasado e, começa a ter menos fãs, menos clientes satisfeitos, menos pessoas promovendo a sua marca e, não há inovação que faça a coisa mudar, se executivos e empresas não perceberem que a inovação está nas pequenas coisas, nos detalhes, em fazer o básico com extrema competência e com extrema eficácia. O resto, é perfumaria. Sempre haverá uma maneira de aperfeiçoar o básico fazendo um pouco melhor e entregando mais para o cliente, sem perdê-lo de vista.

E quando isso acontecer, essa sim será a verdadeira e única inovação. Uma inovação que alia o cliente junto da empresa aumentando o valor percebido, aumentando os fãs, aumentando o valor da marca, aumentando o número de clientes, o faturamento e, entregando pontualmente.

A chave da inovação está nos detalhes do básico, e não nas coisas ilusionistas e extraordinárias. Cinco são as chaves para unir inovação, clientes e obter sucesso nessa brincadeira toda:

1. Associar. A capacidade de conectar-se à questões aparentemente não relacionadas, problemas ou ideias de campos diferentes;

2. Questionamento. Inovadores constantemente fazem perguntas que desafiam o senso comum. Eles perguntam “porquê?”, “porque não?” e “e se?”;

3. Observando. Descobertas muitas vezes surgem ao examinar fenômenos comum,  o comportamento dos clientes em potencial, concorrência, e tudo o que acontece ao nosso redor;

4. Experiências. Empresários inovadores experimentam ativamente novas ideias, criando protótipos e lançamento de pilotos;

5. Networking. Inovadores saem de seu caminho para encontrar pessoas com idéias e perspectivas diferentes.

Essas devem ser as diretrizes de qualquer processo de inovação. Obviamente que, antes disso tudo, é imprescindível fazer o dever de casa e dar conta, incialmente do básico, pra depois nevagar pelas novidades.

Obviamente, que tudo ao mesmo tempo. O segredo está em inovar no básico, sem deixar o básico de lado. O resto, é tentativa e erro. Beber, cair e levantar. Ou seja, fazer, se der errado, refazer. O resto? O resto é perfumaria, romance e historinhas bonitas que todo mundo conta…